14mar • 23 Amy Harmon, Ficção, Literatura Americana, literatura estrangeira, resenha, Resenhas de Livros, Romance, romance histórico, Verus

Resenha #433 O que o vento sussurra

Título: O que o vento sussurra
Autor: Amy Harmon
Editora: Verus
Páginas: 378
Ano: 2022
Gênero: Romance/ Literatura Americana/ Literatura Estrangeira/ Ficção Histórica
Classificação: 4 estrelas

Compre o Livro

Sinopse: Em uma história de amor inesquecível, O que o vento sussurra narra a jornada impossível de uma mulher através do tempo, que pode mudar tudo… Anne Gallagher é uma escritora rica e famosa que vive em um lindo apartamento em Manhattan. Ela sempre sentiu verdadeiro fascínio pelas histórias de seu avô sobre a Irlanda, mas nunca teve a chance de conhecer o país. Até agora. Arrasada com a morte do avô, Anne viaja para a terra onde ele passou a infância para espalhar suas cinzas. Lá, dominada pelas lembranças do homem que ela adorava e consumida por uma história que nunca conheceu, Anne é puxada para outro tempo. A Irlanda de 1921, à beira da guerra, é um lugar perigoso onde despertar. Mas é ali que Anne se encontra, ferida, desorientada e sob os cuidados do dr. Thomas Smith, guardião de um menino estranhamente familiar. Confundida com a mãe desaparecida do menino, Anne adota sua identidade, convencida de que o sumiço da mulher está ligado ao seu. À medida que as tensões aumentam, Thomas se junta à luta pela independência da Irlanda e Anne é arrastada para o conflito ao lado dele. Presa entre a história e seu coração, ela deve decidir se está disposta a abrir mão da vida que conhecia por um amor que nunca pensou que encontraria. Mas será que a escolha é realmente dela?

“Eu o conhecia e amava. Desesperadamente. Amá-lo e conhecê-lo, porém, era tão impossível quanto amar um rosto em uma tela. Nós éramos impossíveis. Em um momento, em um suspiro, tudo poderia acabar.”

Hey pessoas bonitas, muitos de vocês sabem o quanto amo a Amy Harmon e não poderia deixar de trazer mais um livro dela que foi felizmente publicado aqui no Brasil, então vamos embarcar nessa viagem no tempo juntos?

O livro vai nos apresentar a história de Anne, ela é uma escritora americana muito famosa e que recentemente perdeu o avô. Eles eram a única família um do outro e antes de falecer ele a fez prometer que iria levar suas cinzas de volta para sua terra natal, a Irlanda. Muito abatida pelo luto, Anne faz a viagem para o país onde seu avô nasceu e cresceu, lá ela acaba tendo um encontro com suas raízes e conhecendo um pouco sobre a própria história. Logo em seguida ela vai cumprir a promessa feita ao avô e quando está prestes a jogar as cinzas dele no lago, ela simplesmente desaparece na neblina.

Continue lendo
28fev • 23 Arqueiro, Ficção, Literatura Canadense, literatura estrangeira, Louise Penny, resenha, Resenhas de Livros, romance policial, Suspense

Resenha #432 Natureza Morta

Título: Natureza Morta
Série: Inspetor Gamache
Volume: 1
Autor: Louise Penny
Páginas: 304
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance Policial/ Literatura Estrangeira/ Literatura Canadense
Classificação: 5 estrelas

Compre o Livro

Sinopse: Em Natureza morta, Louise Penny apresenta o inspetor-chefe Armand Gamache, que conduz esta brilhante e premiada série de mistério.

O experiente inspetor-chefe Armand Gamache e sua equipe de investigadores da Sûreté du Québec são chamados a uma cena do crime suspeita em Three Pines, um bucólico vilarejo ao sul de Montreal. Jane Neal, uma pacata professora de 76 anos, foi encontrada morta, atingida por uma flecha no bosque.

Os moradores acreditam que a tragédia não passa de um infeliz acidente, já que é temporada de caça, mas Gamache pressente que há algo bem mais sombrio acontecendo. Ele só não imagina por que alguém iria querer matar uma senhora que era querida por todos.

Porém, o inspetor-chefe sabe que o mal espreita por trás das belas casas e das cercas imaculadas e que, se observar bem de perto, a pequena comunidade começará a revelar seus segredos.

Natureza-morta dá início à série policial de grande sucesso de Louise Penny, que conquistou leitores no mundo todo graças ao cativante retrato da cidadezinha, ao carisma de seus personagens e ao seu estilo perspicaz de escrita.

Hey pessoal, tudo bom com vocês? Hoje é dia de policial por aqui!

Conheci e comecei a ler essa série por puro incentivo de Michelli. Ela panfletou bastante o Gamache e eu acabei me rendendo e olha, que ótima decisão!

Aqui nós somos inseridos no mundo do Inspetor Gamache, um investigador de renome que é enviado para uma cidadezinha pitoresca e bem escondida do Canadá. Lá ele vai investigar o caso de Jane, uma senhora muito conhecida e amada pela comunidade, que morre em um bosque no que aparenta ser um acidente de caça. Mas conforme as investigações evoluem, fica claro que não foi um simples acidente, mas sim um homicídio.

Continue lendo
21fev • 23 12 livros para 2023, Clichê, desafio, Desafio das GeLs, Fantasia, Galera Record, Literatura Americana, literatura estrangeira, Pássaro e Serpente, resenha, Resenhas de Livros, Romance, Shelby Mahurin

Resenha #431 Pássaro & Serpente

Título: Pássaro & Serpente
Série: Pássaro & Serpente
Volume: 1
Autor: Shelby Mahurin
Páginas: 504
Editora: Galera Record
Gênero: Jovem Adulto/ Fantasia/ Literatura Estrangeira/ Literatura Americana
Classificação: 3,5 estrelas

Compre o Livro

Sinopse: Juntos como um só, para amar, honrar ou queimar. Pássaro e serpente é o primeiro livro de uma trilogia deslumbrante que une bruxaria, fantasia, perigos e um amor proibido. A pré-venda acompanha um lindo pingente de serpente e um marcador de páginas. Há dois anos, Louise le Blanc precisou fugir de seu clã e se escondeu na cidade de Cesarina, deixando para trás toda a magia e vivendo de tudo que pudesse roubar.

No entanto, a cidade é cheia de perigos e mistérios para alguém como ela. Na região, caçadores da Igreja caminham pela cidade, venerados como verdadeiros homens santos. E o arcebispo, o rigoroso patriarca da Igreja, parece ser violento. Lá, bruxas como Lou são temidas, caçadas… e, então, queimadas. Reid Diggory vive sua vida com base em um versículo: não permitirás que uma bruxa viva. Fanático caçador de bruxas para a igreja, Reid dedicou toda sua vida erradicando o ocultismo e fazendo com que o arcebispo da cidade, seu pai, ficasse orgulhoso de suas ações.

Mas quando chega o momento e a oportunidade de capturar uma bruxa, um ladrão o engana e seu alvo consegue escapar. Com a intenção de levá-la a julgamento, Reid acredita que ela não escapará novamente. Mas quando Lou dá um golpe perverso e o engana outra vez, em um escândalo público, os dois são forçados a uma situação inimaginável: o casamento. O casamento com um caçador poderia proporcionar uma proteção verdadeira às bruxas – se Lou conseguisse convencê-lo de que não é uma.

No entanto, à medida que o tempo passa, seu segredo se torna cada vez mais difícil de ser mantido escondido. Apesar do perigo que Reid representa à sua sobrevivência, complexos sentimentos de Lou por Reid começam, lentamente, a nascer. Incapaz de mudar o que realmente é, Lou precisará fazer uma escolha.

Hey galera, hora da fantasia por aqui!

Bom, esse livro tá super famosinho por aí, eu caí no golpe/hype e acabei comprando. Gostei muito da premissa e me joguei na leitura achando que seria sensacional, mas na verdade quebrei a cara. Vou fazer um resumo para vocês.

O livro vai nos contar a história de Lou, uma bruxa que abandonou seu coven inicialmente por um motivo desconhecido, só sabemos que a vida dela estava correndo risco e por isso ela caiu fora. Ela vive durante alguns anos tentando esconder sua magia, até porque ela vive em uma cidade onde as bruxas são perseguidas, presas e mortas em fogueiras, então ser quem é não é o melhor para nossa mocinha.

Continue lendo
17fev • 23 12 livros para 2022, Cassandra Clare, Desafio das GeLs, Fantasia, jovem adulto, Literatura Americana, Record, resenha, Resenhas de Livros

Resenha #430 Rainha do Ar e da Escuridão

Título: Rainha do Ar e da Escuridão
Série: Os Artifícios das Trevas
Volume: 3
Autor: Cassandra Clare
Páginas: 728
Editora: Galera Record
Gênero: Jovem Adulto/ Fantasia/ Literatura Estrangeira/ Literatura Americana
Classificação: 4 estrelas

Compre o Livro

Sinopse: Rainha do Ar e da Escuridão é a conclusão épica para outra grande trilogia do universo de Instrumentos Mortais da autora best-seller Cassandra Clare.

Sangue inocente foi derramado nos degraus do Salão do Conselho, e o mundo dos Caçadores de Sombras se encontra à beira de uma guerra civil. Parte da família Blackthorn foge para Los Angeles, em uma tentativa de descobrir a origem da doença que está acabando com os bruxos. Enquanto isso, Julian e Emma tomam medidas desesperadas e embarcam em uma perigosa missão para o Reino das Fadas a fim de recuperar o Volume Negro dos Mortos. O que encontram é um segredo capaz de destruir o Mundo das Sombras e abrir um caminho tenebroso para um futuro que nunca poderiam ter imaginado. Em uma corrida contra o tempo, Emma e Julian devem salvar o mundo dos Caçadores de Sombras antes que o poder mortal da maldição parabatai destrua tudo o que amam.

Olá Shadowhunters! Hora de fechar mais uma trilogia de dona Cassandra Clare.

Os Artifícios das Trevas inaugurou uma nova era no universo dos Caçadores de Sombras, aqui nós temos novos personagens e ainda acompanhamos flashs dos nossos queridinhos como Clary e Jace. Bom, esse terceiro livro fecha a trama de Julian e Emma, os parabatais que se apaixonam, algo proibido entre os Caçadores.

O livro começa logo após os eventos que levaram à morte a irmã de Julian e do inquisidor, lá em Idris. O tom é de muita tristeza, medo e revolta entre os Caçadores, e faz com o que o pior deles apareça. Medo das Fadas e do Submundo em geral leva a uma série de medidas preconceituosas e absurdas quando um novo Inquisidor é eleito.

Continue lendo
17dez • 22 12 livros para 2022, clássico, Desafio das GeLs, Elizabeth Gaskell, literatura estrangeira, Literatura Inglesa, Pedrazul, resenha, Resenhas de Livros, Romance

Resenha #429 Margaret Hale – Norte e Sul

Título: Margaret Hale – Norte e Sul
Autor: Elizabeth Gaskell
Editora: Pedrazul
Páginas: 428
Ano: 2015
Gênero: Romance/ Literatura Inglesa/ Literatura Estrangeira/ Clássico
Classificação: 3,5 estrelas

Compre o Livro

Sinopse: “Vamos, pobre e pequeno coração! Seja alegre e corajoso. Seremos muita coisa um para o outro, se formos jogados fora e deixados desolados!”

Margaret Hale é arrancada de seu idílico e pastoril Sul e levada para o industrializado Norte, para a poluída cidade de Milton. Infeliz, sentindo-se perdida, logo desenvolve um senso apaixonado de justiça social, intensificado pelo seu tempestuoso relacionamento com Mr. Thornton, cuja oposição feroz oculta uma atração mais profunda.
Elogiado por Charles Dickens como uma “história admirável, cheia de personalidade e poder”, o romance entre uma heroína arrogante, porém, sensível, e um industrial inteligente e dinâmico aborda questões políticas, filosóficas e econômicas. Uma descrição inabalável das condições sombrias dos trabalhadores da Era Vitoriana.
O confronto entre Margaret Hale e John Thornton é considerado uma reminiscência das desavenças entre Elizabeth Bennet e Mr. Darcy, personagens de Orgulho e Preconceito, de Jane Austen.

Hey galera, vamos para um clássico da literatura? 

Margaret Hale ou Norte e Sul como ficou conhecido, é um clássico da literatura que vai nos apresentar a história de Margaret, uma jovem que depois de ter passado vários anos vivendo com a família da tia em Londres, e sendo dama de companhia de sua prima, volta para a casa dos pais após o casamento dessa prima. 

Margaret tinha boas lembranças de sua casa de infância, que ficava em Hellstone, uma cidade pequena ao Sul da Inglaterra. Lá a vida era bem pacata e com seu pai sendo o vigário local, ela tinha uma boa relação com os moradores da cidade. Tudo muda quando seu pai toma uma decisão que transforma completamente a vida da família. Eles mudam de cidade e saem de Hellstone para a cidade de Milton, uma cidade industrial ao norte da Inglaterra. 

Continue lendo
19nov • 22 12 livros para 2022, desafio, Desafio das GeLs, distopia, ficção científica, jovem adulto, Literatura Americana, literatura estrangeira, Neal Shusterman, resenha, Resenhas de Livros, Seguinte

Resenha #428 O Timbre

Título: O Timbre
Série: Scythe
Ordem: 3
Autor: Neal Shusterman
Editora: Seguinte
Gênero: Ficção Científica/ Literatura Estrangeira/ Jovem Adulto
Páginas: 560
Ano: 2020
Classificação: 3,5 estrelas

Compre o Livro

Sinopse: A humanidade alcançou um mundo ideal, em que não há fome, doenças, guerras, miséria… nem mesmo a morte. Mas, mesmo com todo o esforço da inteligência artificial da Nimbo-Cúmulo, parece que alguns problemas humanos, como a corrupção e a sede de poder, são igualmente imortais. Desde que o ceifador Goddard começou a ganhar seguidores da nova ordem, entusiastas do prazer de matar, a Nimbo-Cúmulo decidiu se silenciar, deixando o mundo cada vez mais de volta às mãos dos humanos.

Depois de três anos desde que Citra e Rowan desapareceram e Perdura afundou, parece que não existe mais nada no caminho de Goddard rumo à dominação absoluta da Ceifa — e do mundo. Mas reverberações da Grande Ressonância ainda estremecem o planeta, e uma pergunta permanece: será que sobrou alguém capaz de detê-lo?

A resposta talvez esteja na nova e misteriosa tríade de tonistas: o Tom, o Timbre e a Trovoada.

Hey galera, chegamos ao terceiro e último volume da série Scythe, e agora é a hora de comentar com vocês as minhas impressões sobre o desfecho dessa história. Vamos juntos?

O livro vai começar em paralelos de tempo distintos, em cada capítulo a gente vai ir e vir no tempo para depois entender melhor todos os eventos quando eles convergirem. O segundo livro terminou com Citra e Rowan afundando junto com Perdura e entrando em semi-morte. Toda a população mundial se tornou infratora aos olhos da Nimbo-Cúmulo e ninguém mais pode entrar em contato direto com ela. Caos!

Goddard foi elevado a Supra Punhal da Mérica do Norte e aos poucos está expandindo seu projeto de poder por todas as Méricas e outros continentes. O mundo está verdadeiramente uma loucura, mas no meio disso tudo, ainda existe uma única pessoa que consegue falar com a Nimbo-Cúmulo, e esse é Graysson. Lembram dele do livro anterior?

Continue lendo
27out • 22 Clichê, comédia romantica, Farah Heron, literatura estrangeira, resenha, Resenhas de Livros, Romance

Resenha #427 Accidentally Engaged

Título: Accidentally Engaged
Autor: Farah Heron
Editora: Forever
Páginas: 368
Ano: 2021
Gênero: Romance/ Comédia Romântica/ Literatura Estrangeira
Classificação: 4,5 estrelas

Compre o Livro

Sinopse: Reena Manji não ama sua carreira, seu status de solteira e, acima de tudo, sua família se intrometendo em cada detalhe de sua vida. Mas ao cuidar de sua preciosa massa fermentada sourdough, Reena pode abafar tudo. Pelo menos até que seu pai mude seu mais novo funcionário para o outro lado do corredor – com a esperança de que Reena se case com ele.
Mas Nadim não é como os outros solteiros muçulmanos comuns que seus pais arranjaram. Se o corpo de Capitão América e o sotaque britânico não fossem suficientes, o homem parece adorar comer suas criações de pão tanto quanto ela adora fazê-las. Ela com certeza nunca se casaria com um homem que trabalha para seu pai, mas a amizade como vizinha não tem problema, né? E quando a carreira de Reena despenca, Nadim felizmente concorda em fingir um noivado para que eles possam entrar em um concurso de culinária caseira para casais e ganhar o prato de pão artesanal dos seus sonhos.
Como cozinhar juntos em casa os aproxima, as coisas ficam físicas, mas Reena não está preocupada. Ela sabe que Nadim guarda segredos, mas tudo bem: segredos estão sempre no menu no que diz respeito à família. E seu coração está protegido… Ela não vai se casar com o homem. Mas mesmo segredos mantidos para autopreservação têm um jeito de escapar, especialmente quando pais intrometidos e famílias fofoqueiras estão envolvidos.

Hey galera, tudo bem?

Hoje trago para vocês um clichê gostosinho demais. Accidentally Engaged vai nos contar a história de Reena, ela é uma jovem mulher indiana, nascida no Canadá e com pais mulçumanos que imigraram da Tanzânia muito tempo atrás. No Canadá, o pai de Reena criou o seu império no ramo da construção civel, ele é um homem muito tradicional e junto com sua esposa, tem o hábito ser bem intrusivo na vida de seus filhos, por esse motivo, nossa mocinha decidiu ser o mais independente possível.

Ela vive em um apartamento, tem um emprego que tolera e um histórico nada feliz no quesito relacionamentos. Também não se dá bem com a irmã mais nova e vive resistindo às intrusões de seus pais. Até aí tudo ok, porém nossa mocinha não contava com a última de seus pais kkk. O pai de Reena tem um novo empreendimento e ao negociar com um dos financiadores, o possível casamento de seus filhos também entra na jogada e assim, Nadim entra na vida de Reena.

Continue lendo
22out • 22 12 livros para 2022, Bernard Cornwell, Desafio das GeLs, Ficção, literatura estrangeira, Literatura Inglesa, Record, resenha, Resenhas de Livros, Romance

Resenha #426 O Inimigo de Deus

Título: O Inimigo de Deus
Série: As Crônicas de Artur
Ordem: 2
Autor: Bernard Cornwell
Editora: Record
Gênero: Romance/ Ficção/ Literatura Estrangeira
Páginas: 518
Ano: 2011
Classificação: 5 estrelas
Compre o Livro
Sinopse: “O Inimigo de Deus” é o segundo volume da mais fiel história de Artur narrada até hoje. Com base em fatos novos e descobertas arqueológicas, Bernard Cornwell retrata o maior de todos os heróis como um guerreiro poderoso que luta contra os saxões para manter unida a Britânia, no século V, após a saída dos romanos. Em “O Inimigo de Deus”, o país está unido e pronto para expulsar de uma vez os invasores saxões. Mas se por um lado está unificado politicamente, por outro a luta entre as religiões ancestrais e o cristianismo divide o povo. Diante da propagação da nova fé, Merlin empreende uma busca pelo caldeirão sagrado — objeto mágico poderoso, capaz de trazer de volta os antigos deuses e aniquilar os saxões e os cristãos. Ao longo desta jornada, ele é acompanhado pelo guerreiro Derfel por lugares distantes e perigosos, onde acontecem aventuras inesquecíveis.

Olá galera, hoje é dia de conversarmos sobre O Inimigo de Deus, segundo livro da trilogia As Crônicas de Artur. Nessa continuação, vamos acompanhar novamente Derfel, um dos melhores amigos e guerreiros de Artur, narrando os eventos da época em que Artur forjou a história que o tornou famoso.

“Fale de Artur, diz ela, do Artur dourado, nossa última e melhor esperança, nosso rei que nunca foi rei, o Inimigo de Deus e flagelo dos saxões. Fale de Artur.”

Nessa fase, Artur está em busca de sua tão sonhada paz, e para isso, ele vai continuar tentando unir todos os reinos da Britânia contra o inimigo em comum, os saxões. A primeira tentativa é através da união de Ceinwyn, a irmã do Rei de Powys que foi preterida por Artur em favor de Guinevere, e Lancelot. Ela seria tipo um prêmio de consolação para Lancelot por Artur não ter conseguido proteger seu reino como tinha prometido. Porém, eles não contavam com os planos de Merlin.

Continue lendo