Clichê

Resenha 459 Lugar Feliz

Por Barbara em 16 maio • 2024

Posts arquivados em: Mês: abril 2023

18abr • 23 Clichê, literatura estrangeira, Literatura Portuguesa, Maria de Melo, Publi Post, resenha, Resenha Publicitária, Resenhas de Livros, Romance de Época

Resenha 437 A Viúva Misteriosa

Título: A Viúva Misteriosa
Autor: Maria de Melo
Editora: Independente
Gênero: Romance de Época/ Literatura Portuguesa/ Literatura Estrangeira
Páginas: 75
Ano: 2023
Classificação: 3,5 estrelas
Compre o Livro
Sinopse: O Marquês Louis de Villeclaire, um dos homens mais ricos de França, é também um solteirão muito cobiçado. Quando um dos seus devedores morre repentinamente, ele herda não só todos os seus bens, como a responsabilidade de cuidar de todas as pessoas que viviam em sua casa, entre as quais, a própria viúva.
Mas, Louis esperava encontrar uma senhora velhinha e desgostosa e, em vez disso, a viúva é uma jovem muito bonita e misteriosa, Catherine Duvernois.
Decidido a descobrir o que a levou a casar com um homem muito mais velho, o Marquês acaba se apaixonando por ela. Mas há outras mulheres que estão dispostas a fazer tudo o que for preciso para apanhar a fortuna de Villeclaire. E a própria Catherine, o que é que ela pensa sobre Louis?
A Viúva Misteriosa é uma história de amor, ambientada num dos mais belos cenários da Europa, o Vale do Loire, num castelo de contos de fadas.

Hey meu povo, tudo bom vocês? Hoje nós vamos conversar sobre o livro aí do título, A viúva misteriosa da autora portuguesa Maria de Melo. É romance de época e eu sei que os fãs do gênero vão gostar de conhecer a história de Louis e Catherine. Bora lá?

O livro vai nos contar a história desse casal que se conhece de uma forma bem diferente. Louis é um nobre e vive no interior da França, onde sua casa principal está estabelecida. Ele é um verdadeiro libertino que gosta de jogar e viver em bordeis. Ele é jovem e tem péssimos hábitos, mas é uma boa pessoa rs. A vida dele se entrelaça com a de Catherine por conta de uma dívida de jogo, o marido de nossa mocinha acaba falecendo e ele devia muito dinheiro para Louis, com o fim de sua vida ele acaba deixando todos os bens para pagamento dessa dívida, e isso incluía os empregados e a própria esposa… complicado.

Continue lendo
05abr • 23 12 livros para 2023, Bernard Cornwell, Desafio das GeLs, Fantasia, Ficção, literatura estrangeira, Literatura Inglesa, Record, resenha, Resenhas de Livros, Romance

Resenha 436 Excalibur

Título: Excalibur
Série: As Crônicas de Artur
Ordem: 3
Autor: Bernard Cornwell
Editora: Record
Gênero: Romance/ Ficção/ Literatura Estrangeira
Páginas: 532
Ano: 2014
Classificação: 5 estrelas
Compre o Livro
Sinopse: Neste terceiro volume da série, iniciada com “O Rei do Inverno” e sequenciada por “O Inimigo de Deus”, o escritor imerge o leitor em uma Britânia cercada pela escuridão. E apresenta os últimos esforços de Artur pra combater os saxões e triunfar sobre um casamento e sonhos desfeitos. “Excalibur” mostra, ainda, o desespero de Merlin, o maior de todos os druidas, ao perceber a deserção dos antigos deuses bretões. Sem seu poder, Merlin acha impossível combater os cristãos, mais perigosos para a velha ilha do que uma horda de famintos guerreiros saxões. O livro traz vívidas descrições de lutas de espada e estratégias de guerra, misturadas com descrições da vida comum naqueles dias: longas barbas servindo como guardanapos, festivais pagãos, com sacrifícios de animais, e pragas corriqueiras, como piolhos. Tendo por narrador um saxão criado entre os bretões, Derfel, braço direito de Artur, “Excalibur” acompanha os conflitos internos de Artur, recém-separado da esposa, mas ainda apaixonado por sua rainha. Atacado por velhos inimigos, perseguido por novos perigos. Mas sempre empunhando a espada Excalibur, um dos Tesouros da Britânia legados aos homens pelos antigos deuses dos druidas. Cornwell mostra, ainda, como as ameaças vindas de todos os lados acabam fazendo com que Artur se volte para a religião, chegando a batizar-se como cristão. Todos os sacrifícios são válidos para salvar sua adorada Britânia e conceder-lhe a tão almejada paz.

Hey galera, como estão? Chegamos ao terceiro e último livro da saga de Artur, na versão de Bernard Cornwell, e é hora de descobrir o desfecho da lenda, vamos lá?

O livro começa com um Artur muito magoado após descobrir as traições de sua amada Gwen, digamos que ele está bem raivoso e afastado de todos os bons amigos, principalmente de Derfel, o narrador e a pessoa que testemunhou a traição. Bom, Gwen está presa, Artur seguindo com a própria vida e Derfel o mesmo. Uma nova ameaça saxã está vindo contra a Britânia e dessa vez é completamente diferente, pois os dois principais reis saxões estão unidos para dominar de vez a Britânia e para que isso não aconteça, Artur precisa tentar unir seus aliados e investir para exterminar de uma vez por todas com esses inimigos.

Em paralelo, temos a questão religiosa. Merlin ainda está disposto a invocar os deuses e agora ele tem a vantagem de ter em posse os tesouros da Britânia. Com a ajuda de Nimue e outros aliados, eles pretendem finalmente invocar os deuses e devolver a Britânia para eles e exterminar de vez a ameaça da religião cristã. Temos nesse livro um paralelo de guerras interessante, a religiosa e a humana, e ambas têm o seu quinhão de violência.

Continue lendo