adulto

Resenha #218 Big Rock

Por Barbara em 03 maio • 2018
18maio • 18 best book, desafio, Desafio das GeLs, Fantasia, literatura estrangeira, mistério, resenha, Resenhas de Livros, Romance

Resenha #219 A Garota que Perseguiu a Lua

Título: A Garota que Perseguiu a Lua
Autor: Sarah Addison Allen
Páginas: 243
Editora: Planeta do Brasil
Gênero: Literatura Estrangeira, Romance
Classificação: 5 estrelas

Compre o Livro

Sinopse: Como você pode achar seu caminho? Seguindo as nuvens ou a lua? Emily Benedict foi para Mullaby após a morte de sua mãe. Ao chegar à cidade e conhecer seu avô ela percebe que os mistérios do lugar nunca são resolvidos: eles são uma forma de vida. Existem quartos cujo papel de parede muda de acordo com o seu humor, luzes estranhas aparecem no quintal à noite e Julia Winterson, a vizinha, consegue cozinhar a esperança em forma de bolos. Emily percebe que sua mãe esteve envolvida no maior mistério da cidade, e conta com a ajuda de Julia para desvendá-lo. Em Mullaby nada é o que parece.

 

Sabe aquelas pessoas que tem um abraço tão bom, mas tão bom que dá vontade de morar ali? Transfira esse sentimento para um livro e você vai entender quão bom é A Garota que Perseguiu a Lua.

Eu ganhei esse livro no natal de 2014 da Mi, como eu tinha gostado de O Pessegueiro, ela apostou que eu gostaria desse título que é da mesma autora. O tempo foi passando e o livro foi ficando na estante até que esse ano eu o escolhi como um dos livros para o desafio de 12 livros para 2018.

Agora em maio resolvi ler e não consegui parar.

Há uma promessa de felicidade por aí. Eu sei disso. Até sinto às vezes. Mas é como perseguir a lua: bem na hora em que você acha que a tem, ela some no horizonte.

Após a morte de sua mãe, Emily se muda para Mullaby, uma cidade da Carolina do Norte, para viver com o avô que até então não sabia que existia. Lá ela descobre que a cidade é cheia de peculiaridades, descobre ainda que sua mãe no passado, não era exatamente a melhor das pessoas.

Em paralelo nós conhecemos Julia, uma mulher criada em Mullaby, mas que há anos deixou sua cidade natal com péssimas lembranças. Quase 20 anos depois ela está de volta após a morte do pai para tentar resolver as dívidas que ele deixou, vender o tradicional restaurante da família e em seguida, voltar para sua vida em Baltimore.

Logo quando conhece Emily, Julia percebe que o passado infame da mãe iria perseguir a adolescente na nova cidade, então decide ajudá-la a se entrosar. Melhora ainda mais o fato de serem vizinhas e Julia ser uma ótima confeiteira.

Aos poucos Emily vai desvendando os segredos de Mullaby e descobrindo o que torna a cidade literalmente encantada, dos pequenos detalhes como o papel de parede de seu quarto que muda de acordo com o humor de quem o habita, até o mais famoso como as luzes de Mullaby. Descobre também sobre o passado da mãe e os motivos que a levaram a se tornar uma pessoa completamente diferente da que as pessoas da cidade conheceram.

Ele realmente era um homem bom. Ela gostava de ficar perto dele. E ele a fazia se sentir tão pequena, como se houvesse muito mais no mundo além de apenas os seus problemas, sua tristeza.

A Julia me fez derramar algumas muitas lágrimas rs, ela tem o Saywer, o homem por quem ela foi apaixonada na adolescência e ele fazendo de tudo para reconquista-la… encheu meu coração de tanto amor e encantamento que eu só faltava flutuar rsrs. Sabe aquele homem sulista, cavalheiro, charmoso… impossível resistir né rs! Mas a história deles é permeada de muita dor e vê-los trabalhando isso é muito bonito.

Claro que não poderia faltar um par para a nossa Emily rsrs, em seus primeiros dias na cidade ela conhece Win, um jovem tão encantador quanto os homens sulistas podem ser, mas cercado de mistérios. Eu o adorei do início ao fim, ele tem uma atratividade magnética que torna impossível para Emily estar longe e vice versa rs.

Você é encantado. Mas provavelmente já sabe disso. Está até na forma como você olha para as pessoas. Sim, você sabe exatamente o poder que tem.

Esse é um livro tão bem escrito que fez aflorar em mim tudo o que mais gosto na leitura. Gosto de ser transportada para os mundos criados pelos autores, adoro me sentir vivendo e me emocionando com eles, e A Garota que Perseguiu a Lua tem tudo isso e muito mais! A edição é linda, uma das capas mais bonitas que tenho na estante rsrs, parabéns Planeta! Não tenho do que reclamar, só desejar mais livros da Sarah rs.

Eu vou parar por aqui porque acho que já falei até demais rs, mas esse é um livro sobre amor, sobre como o passado e nossas escolhas nos afetam, mas principalmente como o perdão pode ajudar a reescrever histórias. É lindo e cheio de personagens encantadores, além dos que citei nessa resenha. Leia esse livro e se apaixone pelos segredo da cidade encantada de Mullaby.

– Você vai ficar?
– Passei tanto tempo dizendo a mim mesma que aqui não era meu lar que comecei a acreditar. Fazer parte sempre foi duro pra mim.
– Eu posso ser o seu lar. Seja minha.

Você também pode conferir a resenha em vídeo desse livro no vídeo abaixo 😉

confira também os Posts Relacionados

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário