adulto

Resenha #350 The Play

Por Barbara em 30 jan • 2021

Posts arquivados em: Tag: faculdade

30jan • 21 adulto, Dicas da Ba, Elle Kennedy, Esportes, Literatura Americana, literatura estrangeira, new adult, Paralela, resenha, Resenhas de Livros, Romance

Resenha #350 The Play

Título: The Play
Série: Briar U
Ordem: 3
Autor: Elle Kennedy
Editora: Paralela
Gênero: New Adult/ Romance/ Literatura Estrangeira/ Literatura Americana
Páginas: 376
Ano: 2020
Classificação: 4 estrelas

Compre o Livro

Sinopse: No terceiro spin-off da série Amores Improváveis, Elle Kennedy entrega o que tem de melhor: humor, um romance cativante e personagens viciantes e inesquecíveis.

O que eu aprendi depois de as distrações do ano passado terem custado ao meu time de hockey toda a temporada? Não ficar com mais ninguém. Como o novo capitão do time, eu precisei de uma nova filosofia: hockey e faculdade agora, mulheres depois. O que significa que eu, Hunter Davenport, estou oficialmente iniciando o celibato… não importa o quanto isso torne as coisas mais difíceis.

Mesmo assim, não há nada no livro de regras que me impeça de ser amigo das mulheres. E eu não vou mentir: minha nova amiga Demi Davis é uma garota legal. É inteligente e gostosa pra caramba, mas o fato de ela ter um namorado elimina a tentação de tocá-la. Exceto que, três meses depois de nos conhecermos, Demi está solteira e buscando carne fresca. E eu sou sua presa. Evitá-la é impossível. Nós fomos colocados para trabalhar em dupla durante o ano todo num projeto da faculdade, mas estou confiante de que posso resistir a ela. Ficar com ela é uma péssima ideia, eu só preciso convencer o meu corpo ― e o meu coração.

CONTEÚDO ADULTO

Chama os apaixonados por New Adult e corre aqui, porque chegou a hora de conhecermos a história de Hunter!

Lá no primeiro livro da série Briar U nós conhecemos o Hunter e a treta do triângulo amoroso que ele se envolveu com a Summer e o Fitz. No segundo livro ele estava mais solto que pipa avoada, tentando curar suas mágoas com todas as meninas da Briar e de qualquer outra universidade que estivesse disponível. Agora em seu livro o nosso mocinho amadureceu e decidiu mudar! Chega de ciscar por aí, agora o foco é totalmente no hockey e em ser um bom capitão para sua equipe, chegou a fase da abstinência.

Sim, você não leu errado, Hunter agora é oficialmente um monge rs.

Continue lendo
28jan • 21 comédia romantica, Literatura Americana, literatura estrangeira, new adult, resenha, Resenhas de Livros, Romance, Sara Ney

Resenha #348 The Studying Hours

Título: The Studying Hours
Série: How To Date a Douchebag
Ordem: 1
Autor: Sara Ney
Editora: Independente
Gênero: New Adult/ Romance/ Literatura Estrangeira/ Literatura Americana
Páginas: 360
Ano: 2016
Classificação: 3 estrelas

Compre o Livro

Sinopse: Grosseiro. Arrogante. Pé no Saco
Sem dúvidas, Sebastian “Oz” Osborne é o atleta mais famoso da universidade, e provavelmente o maior imbecil. Ele é um clichê ambulante, tem uma boca suja, um corpo fantástico e não liga para o que os outros pensam.
Inteligente. Elegante. Reservada
Não se engane: Jameson Clarke pode ser a estudante mais aplicada, mas não é dissimulada. Ela passa a maior parte do seu tempo nos corredores sagrados da biblioteca e é cautelosa com os pervertidos, atletas e pé no saco, e Oz Osborne é tudo isso.
Ela é inteligente, sarcástica… E nem um pouco como ele esperava.
…CADA IMBECIL TEM SUA FRAQUEZA.
Ele quer sua amizade.
Passar um tempo com ela. Deixá-la louca.
Ele quer…Ela.

Para galera que vive me pedindo dicas de New Adult, olha ele aqui!!! Rsrsrs

É o seguinte meu povo, eu comecei a ler esse livro por uma indicação, confesso que a sinopse não tinha me conquistado, mas quando começaram a falar que valia a pena a leitura, eu resolvi apostar e realmente foi uma boa leitura.

O livro conta a história de Sebastian ou “Oz” e Jameson ou “James”. Ambos são estudantes da Universidade de Iowa, ele um esportista, lutador de luta livre e beeeeeem popular na universidade. Sim, o Oz é um astro rs. Já a James é uma garota focada nos estudos, bem rata de biblioteca mesmo, e foge aos padrões das garotas festeiras da faculdade.

Continue lendo