drama

Resenha #380 Pachinko

Por Barbara em 25 set • 2021

Posts arquivados em: Tag: Beth O'Leary

26jan • 21 Beth O'Leary, Chick Lit, drama, intrínseca, literatura estrangeira, resenha, Resenhas de Livros, Romance

Resenha #346 A Troca

Título: A Troca
Autor: Beth O’Leary
Editora: Intrínseca
Páginas: 352
Ano: 2020
Gênero: Chick Lit / Romance/ Literatura Estrangeira
Classificação: 4,5 estrelas

Compre o Livro

Sinopse: Leena Cotton tem 29 anos e sente que já não é mais a mesma. Eileen Cotton tem 79 e está em busca de um novo amor. Tudo de que neta e avó precisam no momento é pôr em prática uma mudança radical. Então, para colocar suas respectivas vidas de volta nos trilhos, as duas têm uma ideia inusitada: trocar de lugar uma com a outra.

Leena sabe que precisa descansar, mas imagina que a parte mais difícil será se adaptar à calmaria da cidadezinha onde a avó mora. Cadastrada em um site de relacionamentos, Eileen por sua vez embarca na aventura com a qual sonha desde a juventude. Dividindo o apartamento com dois amigos da neta, ela logo percebe que na cidade grande suas ideias mirabolantes não são tão complicadas assim.

Ao trocar não só de casas, mas de celulares e computadores, de amigos e rotinas, Leena e Eileen vão descobrir muito mais sobre si mesmas do que imaginam. E se tudo der certo, talvez destrocar não seja a melhor solução.

A Beth O’Leary conquistou nossos corações em Teto Para Dois, então quando um novo livro da autora foi anunciado as expectativas estavam na lua, e essa é a hora de vocês descobrirem o que achei de A Troca.

A premissa do livro é bem interessante e me fisgou de cara, começa assim: Leena é uma jovem mulher de sucesso, ela é uma das melhores do seu ramo e conquistou tudo em uma idade bem jovem, uma verdadeira workaholic. Ela mora em Londres, divide o apartamento com bons amigos, tem um namorado bacana e pretende abrir a própria empresa em breve.

Do outro lado dessa moeda nós temos Eileen, a avó de Lena que também se chama Eileen rs, bom ela vive em uma cidade mais pacata no interior da Inglaterra. Uma vida bem diferente da Eileen de Londres rs. Além do nome, sangue e amor mútuo que compartilham, essas duas mulheres estão em momentos delicados da vida e uma ideia surge, a de trocar de lugar.

Continue lendo
16out • 19 Beth O'Leary, comédia romantica, intrínseca, literatura estrangeira, resenha, Resenhas de Livros, Romance

Resenha #282 Teto Para Dois

Título: Teto Para Dois
Autor: Beth O’Leary
Editora: Intrínseca
Páginas: 400
Ano: 2019
Gênero: Romance/ Literatura Estrangeira
Classificação: 5 estrelas

Compre o Livro

Sinopse: Eles dividem um apartamento com uma cama só. Ele dorme de dia, ela, à noite. Os dois nunca se encontraram, mas estão prestes a descobrir que, para se sentir em casa, às vezes é preciso jogar as regras pela janela.

Três meses após o término do seu relacionamento, Tiffy finalmente sai do apartamento do ex-namorado. Agora ela precisa para ontem de um lugar barato para morar. Contrariando os amigos, ela topa um acordo bastante inusitado.

Leon está enrolado com questões financeiras e tem uma ideia pouco convencional para arranjar dinheiro rápido: sublocar seu apartamento, onde fica apenas no período da manhã e da tarde nos dias úteis, já que passa os finais de semana com a namorada e trabalha como enfermeiro no turno da noite. Só que tem um detalhe importante: o lugar tem apenas uma cama.

Sem nunca terem se encontrado pessoalmente, Leon e Tiffy fecham um contrato de seis meses e passam a resolver as trivialidades do dia a dia por Post-its espalhados pela casa. Mas será que essa solução aparentemente perfeita resiste a um ex-namorado obsessivo, uma namorada ciumenta, um irmão encrencado, dois empregos exigentes e alguns amigos superprotetores?

Sabe aquele livro que parece um abraço? Teto Para Dois é ele.

Eu vi a indicação desse livro e pela sinopse já achei curioso, como assim um casal vai dividir uma casa, uma cama (!!!!!), sem se conhecerem? Como esse arranjo seria possível? Na mesma hora decidi que precisava ler e comecei imediatamente.

Eu tenho uma queda enorme por clichês de casais que dividem casa e daí desenvolvem um relacionamento, mas será que esse livro estava indo por esse caminho?

Continue lendo