drama

Resenha #380 Pachinko

Por Barbara em 25 set • 2021
23mar • 21 12 livros para 2021, Faro Editorial, Literatura Americana, literatura estrangeira, resenha, Suspense, Tarryn Fisher, thriller

Resenha #357 Stalker

Título: Stalker
Autor: Tarryn Fisher
Editora: Faro Editorial
Páginas: 256
Ano: 2018
Gênero: Suspense/ Mistério/ Literatura Americana
Classificação: 3 estrelas

Compre o Livro

Sinopse: Ela não quer ser igual a você. Ela quer a sua vida. Quando Fig Coxbury compra uma casa na West Barrett Street, sua maior motivação não é o amor pelo bairro, ou ter se apaixonado pelo imóvel. É para ficar mais próxima de tudo o que ela deseja: o marido, a criança e a vida que pertence a outra pessoa. Com os olhos fixos na família Avery, Fig se insere gradualmente na rotina de Jolene, Darius e sua filha, Mercy. E não para por aí… Fig invade a privacidade familiar, e logo acredita que pode assumir, definitivamente, o lugar de Jolene. Ela persegue. Copia. Manipula. Cobiça. Usa táticas e cenas a cada momento. Toda stalker tem um objetivo. Para Fig, nada deve ficar em seu caminho.

Terceiro livro do desafio #12livrospara2021 finalizado com sucesso. Hoje trago para vocês a minha opinião sobre esse thriller da Tarryn Fisher, eu sou muito fã da autora como pessoa, mas já vou logo avisando que o livro não é tudo isso. É bom, mas…

Vamos a um resumo da história.

O livro começa nos apresentando à Fig, uma jovem mulher que sofreu um aborto espontâneo e ainda sofre com esse trauma. Um dia passeando no parque, ela vê uma garotinha e tem certeza de que ela é a reencarnação da criança que perdeu, é então que ela passa a perseguir a menina e sua família. O auge é quando a casa vizinha a da família entra em venda e a Fig compra, ela se torna vizinha à família e logo conquista a amizade de Jo, mãe da pequena Mercy.

Jolene é uma mulher confiante, bonita e estilosa. Ela é casada com Darius e juntos eles criam a Mercy, é da personalidade da Jo ser uma pessoa acolhedora e quando conhece a nova vizinha logo a leva para dentro de casa e se tornam amigas. Elas trocam mensagens, Fig passa muito tempo do seu dia na casa de Jo, vira amiga de Darius e o tempo todo vemos que não é algo sincero da parte de Fig. Constantemente ela faz as coisas para se sentir superior a Jo e a invalidar.

O livro segue em frente e entramos na parte narrada pelo Darius, ele é um psicólogo e logo saca que a Fig não é muito boa das ideias. Ele avisa a esposa que o ignora e mantem a amizade com Fig, independente dela mostrar que não deseja o bem da Jo. Mas não se iludam com o Darius, ele não é quem aparenta… Por fim chegamos a parte da Jolene e vamos ter a visão da amizade com a Fig, a relação com o marido e a reação ao furacão que sua vida se tornou.

Confesso que a parte da Jo era a que eu estava mais ansiosa para ler, queria entender porque ela continuava amiga da Fig, o que ela achava de tudo e como reagiria, e foi quando tudo deu errado. O desfecho do livro foi bem decepcionante, o final me deu aquela sensação de injustiça rs. A Jo toma sim atitudes pra mudar a situação dela e isso foi motivo de aplausos, mas não fiquei satisfeita, foi muito light para uma situação tão pesada.

O último capítulo deu uma salvada mas continuou fraco, ainda assim eu indico a leitura para quem estiver se inserindo no gênero e quiser começar com algo mais leve e tranquilo. A leitura é fluida e entrar na cabeça da Fig nos instiga a continuar, e mesmo achando que poderia ter algo a mais, foi uma boa leitura e um bom passatempo.

Fica a dica e até breve.

Ps.: O livro foi inspirado em fatos reais e quem acompanha a Tarryn nas redes sociais consegue captar muito bem as referências pessoais. Só fico imaginando o quão louco seria viver isso na vida real #credo

Assista a resenha em vídeo

confira também os Posts Relacionados

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário