adulto

Resenha #324 Drive

Por Barbara em 28 jul • 2020
27fev • 20 adulto, L J Shen, literatura estrangeira, resenha, Resenhas de Livros, Romance

Resenha #305 Vicious

Título: Vicious
Série: Sinners of Saint
Ordem: 1
Autor: L. J. Shen
Editora: Independente
Gênero: Romance/ Literatura Estrangeira
Páginas: 328
Ano: 2016
Classificação: 1,5 estrelas
Compre o Livro
Sinopse:
Emilia
Dizem que o amor e o ódio são os mesmos sentimentos experimentados sob diferentes circunstâncias, e é verdade. O homem que vem a mim em meus sonhos também me assombra em meus pesadelos. Ele é um advogado brilhante. Um criminoso habilidoso. Um lindo mentiroso. Um valentão e um salvador, um monstro e um amante.
Dez anos atrás, ele me fez fugir da pequena cidade onde vivíamos. Agora, ele veio atrás de mim em Nova York, e não vai embora até que me leve com ele.

Vicious
Ela é uma artista faminta. Bonita e evasiva como a flor de cerejeira. Dez anos atrás, ela invadiu minha vida sem avisar e virou tudo de cabeça para baixo. Ela pagou o preço.
Emilia Leblanc é completamente proibida, a ex-namorada do meu melhor amigo. A mulher que sabe o meu segredo mais obscuro, e a filha da ajudante barata que contratamos para cuidar da nossa propriedade. Isso deve impedir-me de persegui-la, mas não o faz. Então ela me odeia. Grande merda de negócio. É melhor ela se acostumar comigo.

Esse livro exigiu muita força de vontade para suportar esse protagonista. Mesmo alcançando a redenção no final, foi tenso e vou explicar os motivos.

Vicious é o primeiro livro da série Sinners of Saint, como eu comecei pelo spin-off e amei, resolvi dar uma chance para a série principal mesmo não tendo gostado das sinopses. Todos os livros tratam de algum tipo de tabu e nesse nós conhecemos a história de Vicious e Emilia.

Quando mais novos, eles frequentaram o mesmo colégio. Vicious fazia parte da galera popular, nunca foi o mais simpático dos amigos, mas mesmo assim era um dos reis de All Saint High. A verdade é que ele era um jovem muito violento, principalmente com as palavras. Os pais de Millie passam a trabalhar para a família de Vicious e ele logo transforma a garota em um alvo para suas maldades. Sim, o Vicious praticava tanto bullying que seria o exemplo perfeito de como não se comportar.

A verdade é que ele sempre gostou de nossa mocinha, mas não sabia como agir sobre esses sentimentos, até que um dos seus melhores amigos começa a namorar com ela e as coisas saem totalmente dos trilhos…

Os anos passam, a vida segue um rumo diferente para todos e durante uma viagem de negócios a Nova York, Vicious reencontra Millie e ele começa a tentar fazer com que ela seja sua.

Millie também sempre gostou do Vicious (insira um revirar de olhos aqui), ele mexia com algo nela que era difícil ignorar, mas o cara era um babaca, complicado investir em alguém assim. Com esse reencontro e uma proposta de emprego tentadora e necessária, a convivência os aproxima e fica difícil resistir ao sentimento que sempre os atraiu um ao outro.

Claro que eles vão enfrentar muitos problemas ao longo do relacionamento, o Vicious não é a melhor ou mais fácil de lidar das pessoas e existe a questão do ex da Millie que é amigo e sócio do Vicious… vida pouco complicada né? Rsrs

Esse é basicamente o enredo de Vicious, agora vou explicar para vocês os meus problemas com o livro. Eu não gosto de personagens problemáticos que descontam seu passado doloroso em pessoas que não tem culpa de nada. Já passei da fase do CEO babaca ao extremo com um passado difícil que justifica o motivo de ser como é. Nada contra quem gosta, mas não é mais o meu estilo. Já li e me encantei com as “redenções”, hoje em dia não mais.

Foi uma luta ler algumas partes do livro e confesso que cheguei a pensar em abandonar, mas resolvi insistir e levei até o final. Tem uma explicação para tudo o que o Vicious faz, mas não me convenceu e ele não me conquistou. Confesso que estou mais animada para ler o livro do filho dele.

Enfim, leiam por sua conta e risco. Abandonei a série no segundo livro, foi insuportável e só o Defy valeu minhas horas de leitura.

Até breve.

confira também os Posts Relacionados

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário

6 Comentários

  • Camila
    06 ago 2020

    Eu entendo totalmente seu ponto de vista, mas eu acho sensacional o humor ácido dos personagens da lj, acho que já li todos os livros que ela escreveu, a construção do vic sendo essa pessoa sem noção e perturbada, e fora que ele empurra ela em uma espécie de fortalecimento. Mas acho que essas relações meio tóxicas e doentias fazem bons personagens, são eles que nos testam sobre o que achamos certo e errado. Leia Creedence da Penélope Douglas, é de chapar o globo pelos tabus. Enfim, mas não desista da série, apesar que a escrita dela é melhor desenvolvida nós livros dos filhos deles, eu ainda acho a série do vic mais madura.

    • Barbara Lima
      Barbara Lima
      11 ago 2020

      Então, concordo com você nessa questão das relações tóxicas nos testarem, mas como leitora eu acho que cheguei no meu limite como todos os personagens masculinos que são assim. Fora que todos tem uma “justificativa” para serem como são e tratarem a parceira mal, mas não se limita a ela, passa para todas as pessoas em volta deles. É o caso do Vicius, é um desgostar gratuito desde a adolescência com pessoas que não são responsáveis pelos problemas dele. Eu acharia mais válido se ele tivesse procurado uma ajuda psicológica e aí talvez eu conseguisse respeitar mais o personagem.
      Eu comecei a ler o segundo livro da série, mas sinceramente, abandonei porque estava insuportável, juro que não tenho paciência e quase joguei meu kindle longe.

      Já sobre a série dos filhos, essa sim tem valido a pena. Gostei muito dos dois primeiros e apesar das relações serem tóxicas, acredito estar melhor desenvolvida. Ainda não li o terceiro, mas vi que tem muitas críticas negativas e por isso to me segurando, mas vou ler em algum momento.

      A Penélope Douglas também tem um lado dark para relacionamentos, ainda não li esse livro, mas já li outro. Vou procurar e dar uma chance. Obrigada pela indicação e por vir comentar Camila. Beijos!

  • Ana Paula Brasil
    01 jun 2020

    Também não gostei!! Tive que fazer muitaaaaaa força para continuar!!! Vic,o personagem principal,é um ser humano desprezível!!! Não consigo entender essas autoras que ainda não perceberam que estamos no século XXI e que, abuso psicológico, diferença de classe ( sempre um cara rico com uma mulher pobre!) não colam mais!!! Os outros livros são um pouquinhooooo melhores. Poderiam ser muito bons nas mãos de outra autora!

    • Barbara Lima
      Barbara Lima
      02 jun 2020

      Oi Ana, tudo bom?

      A verdade é que esse tipo de livro ainda vende e tem muitos leitores que gostam. Já não me desce essa de mocinho precisar humilhar a mocinha e isso é uma prova de amor, e no final tá tudo bem, tá tudo ok. Não funciona comigo e corro de livro assim. Por isso desisti da série e preferi continuar com o All Saint High.
      Obrigada por comentar e compartilhar a sua opinião aqui. Beijos!

  • Aline
    15 abr 2020

    Ñ abandone a série ñ! O livro do Dean do Trent são ótimos! Eu sou apaixonada pela série! A L.J é uma escritora sem igual!

    • Barbara Lima
      Barbara Lima
      15 abr 2020

      Vou pensar com cuidado nisso Aline rs, vou ler umas resenhas dos outros livros e pensar se retomo a leitura, mas no momento não tenho a menor vontade… enfim rs.
      Obrigada por comentar, beijos!