drama

Resenha #271 Dear Aaron

Por Barbara em 29 maio • 2019
drama

Resenha #268 Bad Boy Brody

Por Barbara em 03 abr • 2019
09ago • 19 Amy Harmon, drama, literatura estrangeira, resenha, Resenhas de Livros, Romance, romance histórico

Resenha #275 From Sand and Ash

Título: From Sand and Ash
Autor: Amy Harmon
Editora: Lake Union Publishing
Páginas: 386
Ano: 2016
Gênero: Romance/ Romance Histórico/ Literatura Estrangeira
Classificação: 5 estrelas

Compre o Livro

Sinopse: Itália, 1943 – A Alemanha ocupa grande parte do país, colocando a população judaica em sério perigo durante a Segunda Guerra Mundial.

Quando crianças, Eva Rosseli e Angelo Bianco foram criados como família, mas divididos por circunstâncias e religião. Com o passar dos anos, os dois encontram-se apaixonados. Mas a igreja chama Angelo e, apesar de seus sentimentos profundos por Eva, ele escolhe o sacerdócio.

Agora, mais de uma década depois, Angelo é um padre católico e Eva é uma mulher sem lugar para voltar. Com a chegada da Gestapo, Angelo esconde Eva dentro das paredes de um convento, onde Eva descobre que ela é apenas um dos muitos judeus que estão sendo abrigados pela Igreja Católica.

Mas Eva não pode se esconder silenciosamente, esperando pela libertação, enquanto Angelo arrisca tudo para mantê-la segura. Com o mundo em guerra e tantos necessitados, Angelo e Eva enfrentam julgamento após julgamento, escolha após escolha agonizante, até que o destino e sorte finalmente colidem, deixando-os com a decisão mais difícil de todas.

Sinceramente, acho que ainda não sei como colocar em palavras tudo o que senti durante a leitura desse livro. Essa, provavelmente, será uma resenha bem emocional, então me perdoem os excessos rs.

Sintam-se avisados!

Ainda estou esperando por um livro da Amy em que eu me decepcione um pouco com a história. From Sand and Ash é o sétimo título da autora que leio e o sétimo que ganha cinco estrelas.

O livro se passa durante o período da Segunda Guerra Mundial na Itália, como boa fã de história que sou, confesso gostar muito de ler romances que se passem nesse período.

Nós temos como protagonistas Eva e Angelo. Eles cresceram juntos e eram como se fossem parentes, os avós de Angelo trabalhavam para a família de Eva, mas a relação era muito mais amigável do que patrão – empregados.

Angelo, uma criança americana, é enviado pelo pai para viver com os avós após a morte da mãe. Ele passa a morar na casa de Eva e eles logo se tornam melhores amigos, a diferença de idade era pouca e Eva era uma garotinha encantadora que logo tira nosso mocinho do casulo.

Eu a amo mais do que a minha própria vida.

Os anos vão passando e em Florença eles crescem juntos, porém Angelo tinha um objetivo bem claro na vida, ele se tornaria padre e a família de Eva era judia, mas diferenças religiosas nunca foram um problema para os amigos e suas famílias. As coisas começam a se complicar quando o crescimento do fascismo aliado ao nazismo, começa a dominar a Itália e a perseguição aos judeus vai se tornando um caso de vida ao morte.

Aos poucos Eva vai vendo tudo o que ela tinha como certo na vida se perdendo, seus direitos civis, sua família ameaçada e até seu direito à vida. Com o desenrolar da guerra e a invasão dos alemães a Itália, ser judeu é praticamente um sentença de morte.

O povo judeu foi despojado de escolha. Eles foram despojados da liberdade. Eles foram despojados de dignidade. E eles não podem salvar a si mesmos.

É quando Angelo volta ao cenário, nessa época ele já é um padre ordenado. Por conta de uma deficiência na perna, ele não pode servir ao exército durante a guerra, mas ele tem uma missão ainda mais especial. Junto com outros membro da Igreja Católica, eles criam uma rede de proteção aos judeus, os auxiliando a fugir e se manterem escondidos durante a perseguição nazista.

Angelo sempre foi apaixonado pela Eva e vice versa, porém ele tinha uma missão e ele acreditava em sua vocação. Ele precisava manter Eva viva e ajudar outros judeus, mas só poderia fazer isso sendo um sacerdote. Essa relação proibida é complicada e ao mesmo tempo é difícil aceitar a possibilidade deles ficarem separados. É angustiante e como sofri com esses dois…

O amor é o motor desse livro, mas ele é recheado de momentos emocionantes de fé, amizade, coragem e música. Em todos os livros da Amy, tem algum personagem que tem uma relação com a arte em geral, mas quando ela os escreve como musicistas, sempre tem um apelo maior em mim rsrsrs. Acontece uma identificação forte e a forma como ela descreve o amor deles pela música é… sem palavras. A Eva é violinista e as cenas dela ao violino são incríveis. A minha favorita é ao final do livro, vocês entenderão ao ler.

A música é uma porta, e a alma escapa através da melodia. Mesmo que seja só por alguns minutos. E todo aquele que ouve é libertado. Todo mundo que ouve é elevado.

Esse livro é uma verdadeira luta pela sobrevivência, por fazer o certo, mesmo quando o errado é mais fácil e principalmente é uma luta pelo amor. Só posso pedir que vocês leiam, é lindo, profundo e tocante. Uma obra com detalhes históricos verdadeiros. É o tipo de livro que todos precisam ler. Com conflitos delicados e de uma sensibilidade tocante.

Leiam, com certeza vocês se apaixonarão por Eva e Angelo, como eu.

De areia e cinza, renascimento. De areia e cinza, vida nova. Com cada canção e com cada oração, com cada pequena rebelião, Eva sentiu-se renascida, renovada, e ela jurou continuar. Ela jurou pressionar-se, fazer vidro das cinzas, e que a coragem fosse uma vitória em si.

confira também os Posts Relacionados

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário