adulto

Resenha #333 Method

Por Barbara em 10 nov • 2020

Categoria: John Green

13jul • 15 Adaptação, book, John Green

Promoção – Eu Quero o Meu Cidades de Papel!

Galera, tá rolando promoção na fanpage do GeL! Chegamos aos 1000 likes e para comemorar vamos sortear um exemplar de Cidades de Papel.
Quer participar também? Corre no Facebook, confira as regras e tente a sorte 😉

 

CLIQUE AQUI PARA PARTICIPAR
Garotas Livros
GeL
08jul • 15 John Green, lançamento, Review

No Escurinho do Cinema #2 Cidades de Papel

Título Original: Paper Towns
Ano: 2015
Duração: 109 minutos
Classificação: 5 estrelas
Sinopse: A história é centrada em Quentin Jacobsen (Nat Wolff) e sua enigmática vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman (Cara Delevingne). Ele nutre uma paixão platônica por ela. E não pensa duas vezes quando a menina invade seu quarto propondo que ele participe de um engenhoso plano de vingança. Mas, depois da noite de aventura, Margo desaparece – não sem deixar pistas sobre o seu paradeiro.

“Você vai para as cidades de papel. E nunca mais voltará.”
Olá pessoal!
Essa semana estamos super empolgadas com o lançamento de Cidades de Papel. Como boa fã de John Green, não poderia deixar de trazer a review do filme e deixa-los ainda mais animados para conferir nas telonas.
No dia 30 de junho, nós tivemos aqui no RJ a cabine de imprensa do filme e eu fui representando o Burn Book e o Garotas entre Livros, um evento promovido pela Fox Filmes e pela editora Intrínseca.
O filme é extremamente fiel ao livro, uma das melhores adaptações literárias que já vi, chegando a superar o livro e sim, eu sei que isso é polêmico, mas pode acontecer em alguns casos e nesse, aconteceu.
No inicio nós conhecemos Quentin e Margo ainda crianças e ele narrando de forma apaixonada o dia em que ele conheceu o seu “milagre” – Margo. Depois vemos como a vida de cada um toma rumos diferentes durante a adolescência até culminar em uma madrugada de aventuras que muda tudo e deixa Quentin cheio de esperanças… até o dia seguinte, quando Margo desaparece. É então que a verdadeira aventura começa…

Continue lendo

06jul • 15 Adaptação, Giro GeL, John Green

#5 Giro Gel – Coletiva de Imprensa com John Green e Nat Wolff

Olá pessoal! Essa semana foi uma loucura e quem acompanha as nossas redes sociais – facebook, instagram e twitter, acompanhou um pouco do que fui postando sobre a vinda do John Green ao Brasil e principalmente sobre a coletiva de imprensa que participei no dia 01-07.


Antes de contar todos os detalhes eu preciso expressar a minha eterna gratidão ao Guilherme Cepeda do Burn Book, que me confiou essa missão de estar fazendo a cobertura do evento representando o BB e o GeL. Obrigada mesmo Gui! <3

Mas vamos ao que interessa, detalhes de tudo o que rolou na coletiva de imprensa com John Green e Nat Wolff!

A coletiva estava marcada para começar às 10 da manhã no Copacabana Palace, hotel muito famoso por receber grandes artistas como Madonna, além de possuir uma tradição de abrigar grandes eventos como esse. Ah, não posso esquecer, fica localizado na praia mais famosa da Cidade Maravilhosa ;)!

 

A partir de 9 horas nós começamos a fazer o credenciamento para então nos dirigirmos ao salão onde a coletiva ocorreria. No espaço onde nos receberam tinha uma área para fotos, coffe break #comidaadoro e um espaço para relaxar enquanto a coletiva não começava. Tinham cerca de 150 pessoas entre blogueiros e jornalistas, todos aguardando ansiosos pela chegada do John e do Nat.

Continue lendo

05nov • 14 John Green, resenha

Resenha #63 Quem é você, Alasca?

Título: Quem é você, Alasca?
Autor: John Green
Editora: WMF Martins Fontes
Páginas: 229
Classificação: 4 estrelas

Sinopse: Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras que, cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar num colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o “Grande Talvez”. Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young, uma garota inteligente, espirituosa, problemática e extremamente sensual, que o levará para o seu labirinto e o catapultará em direção ao “Grande Talvez”.
 

 

“Às vezes, não entendo você, eu disse. 
Ela nem mesmo olhou pra mim. Apenas sorriu para a tevê e disse: 
Você nunca me entende. Essa é a graça.”
Eu esperava muito mais deste livro, e isso me deixa muito triste. Dois amigos me indicaram, dizendo que era sensacional e, por ser do Green, achei que seria incrível mesmo, mas infelizmente não consigo dizer que é um dos meus favoritos.
O livro é bom, e claro, o Green é um dos melhores escritores da atualidade para mim. Nem preciso dizer muito, só quero confessar que amo o modo como ele escreve e que, quando menos se espera, te arranca aquela gargalhada, ou até mesmo faz com que brotem lágrimas em seus olhos.

Continue lendo

07jun • 14 Especial dia de, John Green

#2 Especial Dia de… A Culpa é das Estrelas

A Culpa é das Estrelas já está nas salas de cinema de todo o país e é claro, não poderíamos deixar de preparar um mega especial sobre essa adaptação que assim como o livro promete nos deixar desidratados após tantas lágrimas rsrs. Vem conferir o/

 

  • Sinopse

Filme: “Diagnosticada com câncer, a adolescente Hazel Grace Lancaster (Shailene Woodley) se mantém viva graças a uma droga experimental. Após passar anos lutando com a doença, ela é forçada pelos pais a participar de um grupo de apoio cristão. Lá, conhece Augustus Waters (Ansel Elgort), um rapaz que também sofre com câncer. Os dois possuem visões muito diferentes de suas doenças: Hazel preocupa-se apenas com a dor que poderá causar aos outros, já Augustus sonha em deixar a sua própria marca no mundo. Apesar das diferenças, eles se apaixonam. Juntos, atravessam os principais conflitos da adolescência e do primeiro amor, enquanto lutam para se manter otimistas e fortes um para o outro.

Livro: “A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer – a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.
Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.”

Continue lendo

Garotas Livros
GeL
11fev • 14 best, book, intrínseca, John Green, lançamento

Resenha #03 A Estrela Que Nunca Vai Se Apagar

  Título: A Estrela que Nunca vai Apagar
Autora: Esther Earl com Lori e Wayne Earl 
Editora: Intrínseca
Ano de lançamento: 2014
Avaliação: 5 estrelas 
 

Compre: http://amzn.to/2nm1fNS

“Ela me faz lembrar que uma vida curta também pode ser uma vida boa e rica, que é possível viver com depressão sem ser consumido por ela e que o sentido da vida está na união, na família e nas amizades que transcendem e sobrevivem a todo tipo de sofrimento.” As palavras são do autor John Green, que era amigo de Esther e escreveu a introdução de A estrela que nunca vai se apagar. A amizade dele com a adolescente foi tão intensa que a história dela serviu de inspiração para o aclamado A culpa é das estelas, publicado pela Intrínseca em julho de 2012. Desde nova, Esther gostava de escrever cartas e diários, e, durante o tratamento contra o câncer, mantinha uma rede de amigos on-line – alguns deles membros da comunidade chamada Nerdfighteria, criada por John Green e seu irmão, Hank, em que jovens discutem sobre livros e ideias para tornar o mundo um lugar melhor. Os irmãos famosos postam regularmente vídeos no YouTube sobre assuntos variados, mas sempre pertinentes ao universo jovem. Quando estava muito debilitada, Esther realizou o desejo de passar um fim de semana na companhia dos amigos, e, com a ajuda da instituição sem fins lucrativos Make-A-Wish, ela, John e um grupo de adolescentes viveram momentos de descontração e emoção. O encontro aconteceu em Boston, em julho de 2010. Em agosto do mesmo ano, logo após seu 16º aniversário, Esther faleceu.

 

“Apenas seja feliz, e, se você não conseguir ficar feliz, faça coisas que o deixem feliz. Ou fique sem fazer nada com as pessoas que o fazem feliz.”

 

Pessoas como Esther Grace Earl são imortais: é impossível faze-las morrer. Ao ler este livro pude perceber que Esther era mesmo uma estrela, e que ela realmente nunca irá se apagar, pelo contrário, continuará iluminando a vida de muitos.

Continue lendo