18nov • 19 12 livros para 2019, Aventura, Desafio das GeLs, Fantasia, Howard Pyle, literatura estrangeira, resenha, Resenhas de Livros, Zahar

Resenha #287 Rei Arthur e os Cavaleiros da Távola Redonda

Título: Rei Arthur e os Cavaleiros da Távola Redonda
Autor: Howard Pyle
Editora: Zahar
Páginas: 456
Ano: 2015
Gênero: Aventura/ Fantasia/ Romance/ Literatura Estrangeira
Classificação: 3 estrelas

Compre o Livro

Sinopse: Em Rei Arthur e os cavaleiros da Távola Redonda, o renomado ilustrador e escritor Howard Pyle narra, em palavras e imagens, as famosas aventuras e lendas do Rei Arthur e seus cavaleiros. Pyle revive o nascimento de Arthur, a afirmação de seu direito ao trono, as batalhas com o Cavaleiro Negro e com o Duque da Nortúmbria, a conquista da espada Excalibur, o casamento com Lady Guinevere e as origens da Távola Redonda. Estão aqui também as histórias da Rainha Morgana, da Dama do Lago, do mago Merlin, traído pela feiticeira Vivien, de Sir Pellias, Sir Gawaine e de tantos outros personagens. Este encantador registro das lendas arturianas é um livro para todas as idades.

Esse ano ando um tanto arturiana rsrs. Li alguns livros no universo do famoso rei e ainda quero ler muitos outros porque a verdade é que a história e o mistério envolvendo a vida de Arthur são fascinantes.

Rei Arthur e o Cavaleiros da Távola Redonda faz parte do desafio dos 12 livros para 2019. Após me iniciar no mundo das Brumas de Avalon, confesso que me empolguei com o universo e iniciei esse livro com altas expectativas. Mas confesso que não estava preparada para o que encontrei.

O livro é divido em duas partes, a primeira conta a história de como Arthur se tornou rei e magicamente retirou a espada da pedra, provando que era o verdadeiro herdeiro ao trono. Em seguida vamos ler algumas de suas aventuras, como ele conheceu e se casou com Guinevere e a instituição da Távola Redonda.

Na segunda parte, vamos ler sobre três grandes homens que faziam parte da corte de Arthur. O primeiro é Merlin, o famoso mago e conselheiro de Arthur. O segundo é Sir Pellias e por fim Sir Gawaine. Cada um vive aventuras e desventuras e passam por várias situações que servem para ensinar alguma lição ao leitor.

Não posso negar que gostei do livro, em alguns momentos as história pegavam ritmo e ficavam interessante, mas não me prendeu tanto quanto imaginava. É um livro simples, com uma escrita descomplicada e que me lembrou fábulas, pois ao final das histórias o autor fazia uma reflexão sobre a conduta dos personagens e como o resultado de suas ações se refletiu positivamente ou negativamente.

É um bom livro, porém com uma linguagem um tanto infantil e com uma trama nada intricada. A leitura é válida, mas indico principalmente para quem tem criança em casa, acredito ser uma história divertida e encantadora para se ler com filhos e/ou sobrinhos. Claro que encanta adultos, mas dependendo da fase da vida em que você esteja, uma história com um enredo mais complexo pode te agradar mais.

Sobre a edição, não posso deixar de elogiar o trabalho da Zahar, essas edições de luxo são lindas e muito bem feitas. Diagramação, capa dura e as ilustrações… Sem palavras, só parabéns. São edições que valem a pena cada centavo investido.

Fica a dica e até breve!

Confira a resenha em vídeo

confira também os Posts Relacionados

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário