drama

Resenha #268 Bad Boy Brody

Por Barbara em 03 abr • 2019
Laura Ward

Resenha #264 Not Yet

Por Barbara em 22 mar • 2019
20mar • 19 Sobre Primeiros Beijos

Sobre Primeiros Beijos #17

Hey galera, hoje trouxe para vocês mais uma edição da Sobre Primeiros Beijos. Se você é novo por aqui e não conhece a SPB, ela nada mais é que uma coluna que reúne os primeiros beijos dos casais dos livros que já li. Pode ser que eles não terminem juntos ou que o livro não seja exatamente um romance. O que importa é esse primeiro momento marcante. Espero que vocês gostem dessa seleção e não deixem de conferir as anteriores.

Aperta o play e vem se apaixonar comigo!



.

.

.

.

“Seus lábios eram suaves, sua boca era levemente doce e por alguns segundos eu estava consciente de todos os pequenos detalhes, o raspar do meu queixo com a barba por fazer em sua bochecha macia enquanto a minha boca sussurrava sobre a dela, o sedoso calor de sua respiração engatando em antecipação, uma mexa do cabelo dela fazendo cócegas no meu rosto enquanto eu aplicava uma gentil pressão em seus lábios. E então ela se inclinou para mim voraz, pedindo mais e os detalhes ficaram turvos com a inebriante experiência de desejar e ser desejado.”

Millie e David – The Song of David

.

.

.

.


“Seus lábios eram suaves, seu hálito doce e as pontas de seus dedos eram leves em suas bochechas. Mas não foi um beijo entre amigos. Não foi um beijo de despedida. Foi uma saudação desesperada. Seu coração crescia sem parar, enchendo seu peito com terror e triunfo. Mas ela não o empurrou de volta nem afastou. Na escuridão, ela devolveu a pressão dos lábios dele, e quando ele aprofundou o beijo, ela abriu a boca sem hesitação. Ela sabia que beijá-lo era um erro. Sabia que isso tornaria tudo mais difícil. Mas não conseguia parar. Ela não podia se virar, e quando seus braços a envolveram, levantando-a para que ele pudesse endireitar suas costas e segurá-la contra ele, algo rompeu dentro dela. Ela o beijou com uma fúria e um fervor que o fez recuar e ofegar seu nome, antes de se perderem novamente no doce deslizamento de seus lábios, o emaranhado de seus línguas os mantinham voltando em busca de mais.”

Mercedes e Noah – The Smallest Part

.

.

.

.


“Beijei-a. Só um leve roçar dos meus lábios nos dela, nada animal. Mesmo naquele momento, analisei o beijo: as possíveis reações de Grace, suas possíveis interpretações, o modo como aquilo me fez estremecer, os segundos entre ter tocado seus lábios e ela ter aberto os olhos. Grace sorriu para mim.”

Grace e Sam – Calafrio

.

.

.

.

.

.

.

“Ele se endireitou no banco e em seguida segurou o meu rosto, inclinando-se e fechando os olhos. Eu não sabia direito o que fazer, então o imitei. Seus lábios tocaram os meus, carnudos e macios. Ele me beijou e se afastou, dando um sorriso antes de voltar, desta vez entreabrindo os lábios. Tentei reproduzir o que ele fazia, ao mesmo tempo entrando em pânico e me derretendo. Ele me segurou, e sua língua entrou na minha boca e tocou a minha, morna e úmida. Assim que a dança das nossas bocas encontrou seu ritmo, envolvi os braços em seu pescoço e cheguei mais perto, pedindo para ele me abraçar mais forte.”

Catherine e Elliot – Todas as Pequenas Luzes

.

.

.

.

“E então, seus lábios estão nos meus. Eles parecem como casa, como se já o beijasse desde sempre. Deixo escapar um suspiro e minha boca se abre. Ele se move para frente, sua boca responde a minha, e sinto sua língua deslizar contra a minha. Não vou pensar. Estou sentindo e sinto ele me puxar para mais perto.”

Mackenzie e Ryan – Ryan’s bed

confira também os Posts Relacionados

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário