drama

Resenha #268 Bad Boy Brody

Por Barbara em 03 abr • 2019
Laura Ward

Resenha #264 Not Yet

Por Barbara em 22 mar • 2019
10jul • 14 Fantasia, resenha, Verus

Resenha #40 A Corrida de Escorpião

Título: A Corrida de Escorpião
Autor: Maggie Stiefvater
Editora: Verus
Páginas: 378
Classificação: 5 estrelas

Compre o Livro

Sinopse: “Na pequena ilha de Thisby, poucos cavaleiros são bravos o suficiente para competir na corrida de escorpião que acontece a cada novembro. Pela primeira vez uma mulher, a jovem Puck Connolly, vai competir. Ela tem dois irmãos e ficou órfã depois que os pais foram devorados pelos cavalos assassinos. Por isso, ela está determinada não só a competir como ganhar a corrida. Para isso, Puck terá que enfrentar outro jovem corajoso e encantador. Sean Kendrick também perdeu o pai, atropelado pelas sanguinárias criaturas.

Apesar de terríveis, os cavalos do mar são uma grande atração turística. O turismo é a principal fonte de renda dos habitantes de Thisby. A ilha é um lugar fascinante e, ao mesmo tempo que atrai, também amedronta. A descrição que Maggie faz dos desfiladeiros do local é carregada de poesia. Com a narrativa alternando entre o ponto de vista de Sean e de Puck, a autora criou uma trama envolvente, classificada por críticos do New York Times e do Los Angeles Times como inovadora.
Em A corrida de escorpião, Maggie Stiefvater nos leva até o limite, em que o amor e a vida encontram seus maiores obstáculos e apenas os fortes de coração podem sobreviver. Uma leitura inesquecível.”
Que livro incrível!
Todos os elogios possíveis ainda são insuficientes para descrever esse livro! Se você o tiver na estante, abandone sua leitura atual e vá lê-lo! Se ainda não tiver comprado, sério, compre! #ficadica
Maggie Stiefvater nos leva para a ilha Thisby e nos apresenta os seus cavalos mágicos: Os Capaill Uisce. Tão letais quanto belos, esses cavalos são a grande atração da pequena ilha onde moram nossos protagonistas Sean Kendrick e Puck Connolly.
Todo começo de novembro acontece A Corrida de Escorpião que é a atração da ilha e quando o maior número de turistas vem conhecer os Capaill, participar da corrida, apostar e fazer negócios.

O livro é narrado pela visão do Sean – 4 vezes campeão –  e da Puck – estreante na corrida -, então vemos pontos distintos da vida dentro da mesma ilha até eles convergirem.
Sean tem 19, trabalha numa fazenda de criação de cavalos e com tão pouca idade é considerado um mestre em conhecimento equino, se for falar em Capaill Uisce ele é o cara! Mas não pense que ele é um cara metido e etc… o que faz ele entender tanto sobre os cavalos é o amor profundo que ele sente por esse animais. É lindo ler e os PoVs do Sean, são mágicos!

 

“- Por Deus, aquele é Sean Kendrick.
Ninguém conhece os cavalos melhor que ele. Ele compete todos os anos,
e acho que é o homem a ser vencido. Sempre é.
Mas ele tem um pé na terra firme e o outro no mar. Fique longe dele.”

 

A Puck já é diferente, ela vive com os dois irmãos na casa dos pais, porém sem os pais. Descobrimos logo no começo que ela é órfã e seu irmão mais velho está prestes a ir embora para o Continente deixando-a com o irmão mais novo, essa mudança a atinge de tal forma que a faz tomar decisões ‘inconsequentes’ mas nem tanto rsrs. Não vou entrar em detalhes para que vocês descubram durante a leitura, mas posso afirmar que vocês irão rir e refletir com muitos dos pensamentos da Puck.

 

“Ela está feroz e vermelha, indestrutível e mutável,
tudo que faz Thisby ser o que é.”

 

Um fato interessante é a indefinição da idade da Puck. Que o Sean tem 19 anos fica bem claro porque a Maggie nos da essa informação, mas quanto à idade da Puck, não. Durante a leitura fui construindo essa idade, em alguns momentos era 15 anos e no final eu diria 17-18 anos. Acredito que a autora fez isso justamente pra criarmos a Puck aos poucos porque ela é um personagem em construção, em evolução melhor dizendo. Ela se vê como uma criança em diversas situações, mas se percebe uma mulher ao longo da história.

 

“Eu me pergunto quanto tempo vai levar até que eu me sinta uma adulta por dentro,
assim como pareço por fora.”

 

O livro tem um tom poético muito gostoso, foi muito fácil me transportar para Thisby enquanto eu lia, e claro, nem tudo são flores… ao mesmo tempo que os capaill uisce são lindos e fascinantes, são também assassinos. Então a história é permeada por muito sangue e mortes violentas…

 

“Esses não são cavalos comuns. Cerque-os de encantos, esconda-os do mar,
mas hoje, na praia, não dê as costas a eles”

 

Mas mesmo com tudo isso é impossível não se encantar e não se apaixonar por essa leitura. Leiam, leiam, leiam e conheçam o mundo mágico de Maggie Stiefvater. Você vai se apaixonar e querer pegar um navio para conhecer a ilha de Thisby e seus fantásticos Capaill Uisce.

 

“- Por que é que partir é o padrão? Alguém pergunta porque você fica Sean Kendrick?
– Perguntam.
– E porque você fica?
– O céu e a areia, o mar e Corr.”
 
Até a próxima resenha, em breve o/

confira também os Posts Relacionados

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário