adulto

Resenha #324 Drive

Por Barbara em 28 jul • 2020
04jul • 14 internacional, Review

Resenha #38 The Dark Duet

Depois de muitos dias pensando nessa história, eu ainda não sei exatamente o que dizer. Confesso que o mundo que estou prestes a apresentar é intenso e chocante e complexo e, nem sei mais o que falar aqui. Eu levei muito tempo para montar essa resenha sem nenhum spoiler e tentar passar, de maneira verdadeira, o que esse livro significou para mim.
Claro que seria difícil escrever sobre ele, já que a autora levou 9 anos para termina-lo, mas é muito mais que isso. Como falar de um livro que te levou a extremos desde o começo? Um livro com personagens obscuros e complexos, mas também tão humanos, que você não sabe se deve amá-los ou se tudo que eles merecem é seu ódio?
Devo avisar que esta não é uma história de amor com finais felizes e pássaros cantando, onde você sorri do começo ao fim. É cheia de dor, angústia, dúvidas e crueldade. E, é claro, se você é sensível, NÃO LEIA ESTA RESENHA!

Título: Captive In The Dark
Série: The Dark Duet
Autor: C.J. Roberts
Editora: Neurotica Books
Classificação: 4 estrelas

Sinopse: Caleb é um homem com um único interesse: VINGANÇA. Raptado ainda menino e vendido como escravo por um gangster faminto por poder, ele não pensa em nada além disso. Por 12 anos, ele esteve imerso no mundo da escravidão sexual, procurando pelo homem que julga ter sido o responsável. Finalmente, o culpado por seu sofrimento aparece com uma nova identidade, mas não sem a mesma natureza. Se Caleb quer chegar perto o bastante para agir, deve se tornar exatamente aquilo que ele odeia e raptar uma garota bonita, para treiná-la com o fim de ser tudo o que ele foi um dia.

 
Olivia Ruiz, 18, acorda em um lugar estranho. Vendada e amarrada, existe apenas a voz calma de um homem para lhe dar as boas-vindas. Seu nome é Caleb, embora ele exija que ela o chame de Mestre. Olivia é jovem, bonita, ingênua e voluntariosa. Possui um sensualidade sombria que não pode ser contida ou negada, apesar de tentar fazer os dois. Embora amendrontada pelo homem forte, sadístico e arrogante que a mantém cativa, o que a mantém acordada em meio a escuridão é indesejada atração por ele.
 
AVISO: Este livro contém situações muito perturbadoras, duplo sentido, linguagem inapropriada e violência.

Preciso confessar que esta foi uma leitura completamente diferente de todas que eu já fiz na vida. Por várias vezes estes livros me levaram muito além da minha zona de conforto e, mais ainda, me fizeram sentir emoções tão conflitantes, de maneira tão maluca e intensa, como nenhuma outra história jamais conseguiu.
C.J. Roberts nos apresenta um universo sombrio, cheio de personagens marcantes e temas complexos como o mundo do sadomasoquismo (em sua forma real e não romantizada, como E.L. James apresentou) e da escravidão sexual e tráfico de pessoas no Oriente Médio. Originalmente, o plano da autora era fazer com que a série fosse apenas um livro, mas seu editor não concordou com a ideia e assim surgiram dois livros.
Os protagonistas são Caleb e Olivia (Livvie) e o livro já começa com uma cena chocante. Caleb é um treinador de escravos sexuais (Credo, ela curte esse tipo de coisa! Você leu o aviso lá em cima? Eu disse que não ia ser bonitinho e não coloque palavras na minha boca). Ele não sabe quantos anos tem; desconfia que esteja entre os 25 e os 30. Ele não sabe quem são seus pais e nem se ainda estão vivos. Não possui nenhuma memória de sua infância antes de ser raptado e vendido como escravo, quando tinha apenas 7 anos de idade. Caleb cresceu nesse meio e foi abusado, mas quando atingiu uma determinada idade jurou vingança aos responsáveis por torna-lo um monstro. Sim, é exatamente assim que ele se define: UM MONSTRO INCAPAZ DE AMAR. Ele é um sequestrador, assassino e está atrás de uma nova escrava, mas esta não é como as outras; esta é a peça chave para a execução de seu tão elaborado plano para se vingar daquele que destruiu sua vida.
É aqui que entra Livvie, uma garota de 18 anos, que vive tentando ser invisível para conquistar o amor da mãe. Caleb fica observando-a como um predador pronto para dar o bote e, mesmo tentando, Livvie não consegue passar despercebida aos olhos dele.
É então que tudo em sua vida se transforma, ou acaba (fica a seu critério). Um dia, Livvie se vê amarrada e vendada, em um lugar desconhecido. Sim, seu pior pesadelo aconteceu: ela havia sido sequestrada e pensava estar prestes a morrer uma morte lenta e cheia de torturas. Ainda vendada, ela escuta a voz de um homem, mas mesmo a voz sendo calma, ela não lhe transmite confiança.
Bom, é aqui que tudo fica BIZARRO. Caleb mantém Livvie presa dentro de um quarto escuro e sim, ele abusa dela e sim, ele bate nela e SIM, você fica pensando que ele é um monstro. Mas, será que isso é verdade?
A autora alterna as narrativas entre Caleb e Livvie e, conforme mostra mais sobre a história de Caleb, mais você se pega duvidando da monstruosidade deste homem. Em muitas cenas, as atitudes dele me confundiram, pois acredito que monstros não são capazes de dar carinho ou, até mesmo, de abraçar alguém e confortá-lo até que ele se acalme. Então o que eu senti por ele? Bom, no primeiro livro, até um pouco mais da metade eu senti repulsa e um ódio mortal, que chegava a escutar meu cérebro gritando: BLOODY MURDER! Rolaram alguns #DexterFeelings enquanto eu lia.
O que mais me preocupava era Livvie, que foi de revoltada com sua situação e criar planos para uma fuga, a pensar que amava seu sequestrador, o que a psicologia chama de Síndrome de Estocolmo. E realmente é isso que o livro passa, até um certo ponto em que você começa a duvidar se seria apenas o psicológico da menina ou se ela realmente estaria se apaixonando por uma pessoa como Caleb.
E quanto a Caleb? Bom, ele tinha um papel importante nessa vingança e deveria treinar Livvie, mas ele não o faz. O tempo todo ele deixa ela ter certas liberdades e, em uma determinada situação, em que a vida da menina corre perigo, Caleb se vê inundado de sentimentos que ele não sabe nem nomear e que nunca acreditou que realmente existissem. E o final deste livro, me deixou com tantas perguntas e mexeu demais comigo, pois ele deixou de ser um monstro merecedor dos mais horrendos tipos de morte que se possa imaginar (eu disse que rolava #dexterfeelings, não disse?) e passa a ser alguém que você não quer amar, mas também não quer odiar. WHAT THE HELL?! Exatamente assim que eu me senti.

 

 

Título: Seduced In The Dark
Série: The Dark Duet 
Autor: C.J. Roberts
Editora: Neurotica Books
Classificação: 4 estrelas
 Sinopse: Qual o preço da redenção?
 
Resgatado da escravidão por um oficial paquistânes misterioso, Caleb carrega o peso de uma dívida que deve ser paga com sangue. A estrada foi longa e carregada de incertezas, mas para Caleb e Livvie, tudo está chegando ao fim. Ele sera capaz de abrir mão da mulher que ama por vingança? Ou irá fazer o ultimo sacríficio? 
 
“Para Caleb, parecia que a natureza humana girava em torno de uma verdade empírica: queremos aquilo que não podemos ter. Para Eva, foi o fruto proibído. Para Caleb, era Livvie.”

 

Bom, começa então o segundo livro e já somos jogados no meio de uma investigação do FBI. Livvie está no hospital, sendo tratada e interrogada sobre Caleb. MAS ONDE ESTÁ ELE? Ao que tudo indica, algo de muito grave aconteceu com ele, mas e aí? Ele morreu? Ele escapou? Ela fugiu? QUE MERDA É ESSA? NÃO ENTENDO NADA! Sim, o livro levanta milhões de perguntas complexas e não oferece nenhuma resposta e só me deixava cada vez mais ansiosa e nervosa e quase me tirou o sono (quase!). É então que, quase no fim, UMA BOMBA DE PROPORÇÕES CATASTRÓFICAS é lançada bem no meio da sua cara. O FBI descobre que o caso de Livvie cruza com o de um menininho de 7 anos que foi raptado e nunca foi encontrado. Mistérios e mais mistérios se desvendam, mas o paradeiro de Caleb é o único que continua encoberto. Livvie entra para o Serviço de Proteção à Testemunhas e muda seu nome. Mas será possível tentar ser normal após tudo que aconteceu? E quanto a seu amor por Caleb?
Eu irei entender completamente se vocês falarem que eu levantei uma porrada de dúvidas e não conclui nada, mas não tenho como explicar esse livro sem dar spoilers capaz de destruir o mundo de quem está lendo. Então, eu só tenho um conselho: LEIAM ESTA SÉRIE! Ela pode ser completamente diferente de tudo que vocês já leram, mas no final vale a pena.
Bom, Caleb e Livvie ficaram comigo por longos dias e eu acabei montando uma playlist após ler os livros, então vou compartilhar com vocês. E todas as músicas são do Evanescence. Destaco aqui duas músicas que se tivessem sido lançadas esse ano, eu arriscaria dizer que o Caleb foi a inspiração, pois parece ser ele o autor de tais palavras. São elas: ‘Hello’ e ‘Lost In Paradise’.

Playlist:
1. Imaginary
2. All That I’m Living For
3. Haunted
4. Going Under
5. Lithium
6. Hello
7. Good Enough
8. Lost In Paradise
9. Lacrymosa
10. My Immortal
11. My Heart Is Broken
12. Broken

E, em breve, a resenha do terceiro, e último, livro da série, “Epilogue”, está rolando por aqui.

confira também os Posts Relacionados

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário