drama

Resenha #271 Dear Aaron

Por Barbara em 29 maio • 2019
21maio • 14 distopia, Kiera Cass, resenha, resenha tripla

Resenha #26 A Escolha (Série A Seleção #3)

Título: A Escolha
Autor: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Páginas: 351
Classificação: Barbara – 5 estrelas; Michelli – 4 estrelas; Raquel 5 – estrelas.
Sinopse: A Seleção mudou a vida de trinta e cinco meninas para sempre. E agora, chegou a hora de uma ser escolhida. America nunca sonhou que iria encontrar-se em qualquer lugar perto da coroa ou do coração do Príncipe Maxon. Mas à medida que a competição se aproxima de seu final e as ameaças de fora das paredes do palácio se tornam mais perigosas, América percebe o quanto ela tem a perder e quanto ela terá que lutar para o futuro que ela quer. Desde a primeira página da seleção, este best-seller #1 do New York Times capturou os corações dos leitores e os levou em uma viagem cativante … Agora, em A Escolha, Kiera Cass oferece uma conclusão satisfatória e inesquecível, que vai manter os leitores suspirando sobre este eletrizante conto de fadas muito depois da última página é virada.

As GeLs se reuniram novamente para um Buddy Read/ resenha em trio, e dessa vez é de A Escolha! Se você não leu as primeiras resenhas, pode conferir a resenha de A Seleção aqui, de A Elite aqui e a dos Contos da Seleção aqui. Lembrando que os meus (Barbara) comentários serão em Roxo, da Michelli em Vermelho e da Raquel em Pink okay? Você pode escolher ler só uma cor ou ir direto e ver nossa opinião conjunta 😉 Enjoy!

Chegamos ao fim…

Acho que posso resumir esse livro em apenas uma palavra: SURPREENDENTE.

Todo mundo já sabe o quanto eu era preconceituosa com essa série mas, GRAÇAS A BARBARA HELLEN, eu finalmente me rendi e sim, li por duas vezes o último livro.

Antes de falar do livro/minha opinião, preciso comentar a comoção que esse lançamento gerou nas redes sociais. As fanpages já faziam contagem regressiva, os fãs já estavam mais do que desesperados, ainda mais depois dos três primeiros capítulos que vieram nos “Contos da Seleção”, então uma semana antes do livro ir ‘oficialmente’ para as livrarias, a editora Seguinte (amor eterno) começou a liberar quotes… 

Aí a coisa tomou proporções enormes, especulações, teorias e muito mais era o que se via nos grupos, fanpages e qualquer post relacionado à Seleção. A ansiedade foi tanta que quando o livro se tornou acessível para todos, muitos leram… alguns por curiosidade, outros por serem fãs mesmo, outros ainda por influência dos fãs que não falavam de outra coisa rsrs (amigos obrigada por me aturarem <3).

Eu recebi meu livro, que comprei na pré-venda, nove dias depois do lançamento… – Submarino, I hate you!- assim que chegou eu avisei as GeLs e começamos o nosso Buddy Read. Líamos um capítulo e comentávamos nossas impressões/revoltas/suspiros /etc. Se você nunca fez um Buddy Read simultâneo, eu aconselho! É muito divertido ter com quem comentar/pirar durante a leitura. Experimente isso com um amigo, você vão adorar!

Esse lançamento foi um dos mais angustiantes para mim. O Sub é uma desgraça e eu não ia esperar todo aquele tempo para eles me entregarem, então eu cancelei o pedido, reservei na Cultura (no dia do lançamento mesmo) e matei aula pra ir pegar o livro e ler até me acabar. Depois, reli com as Gel’s e foi muito divertido e angustiante. PARECIA QUE EU NUNCA TINHA LIDO.

Gente !!! O que foi o lançamento desse livro?

Comprei na pré venda do submarino e dei até piti porque meu livro demorou pra chegar. Evitei ao máximo spoilers dos grupos e páginas e aqueles capítulos liberados me estressaram. Nunca fiquei tão empolgada com o lançamento de um livro como em A Escolha. A leitura desse livro foi simplesmente afobada de tudo kkkk nem acredito como consegui ler os 10 primeiros capítulos, parar e esperar que o livro da Ba chegasse pra ler o resto com ela e a Ra.

Depois de tanto procrastinar… vamos ao livro!
Enfim, vamos prosseguir…
Bora lá \o

A Escolha finaliza a trilogia A Seleção, voltamos ao palácio para acompanhar a última fase de America no concurso para conquistar o coração do príncipe Maxon. Quando finalizamos A Elite, vemos uma America disposta a aproveitar sua chance e conquistar o coração do príncipe! Bom, só que nada é tão fácil assim né! 

America agora sabe o que quer e está decidida a lutar por isso, depois do chega pra lá do rei ela sabe exatamente onde se encontra e vai usar todas as suas cartas, para vergonha alheia dos leitores.

Temos mais três meninas também dispostas a fazer de tudo para ganhar a competição.

 

“- Você está vulgar
– E você está com inveja”

America está de volta e determinada. Tão determinada que ela é capaz de se expor (mais ainda) para provar ao bonitão do Maxon que ela o deseja de corpo e alma. Mas enquanto ela brincava em A Elite, as outras levavam isso muito a sério, e chega um momento em que elas lavam a roupa suja e descobrem os “avanços” de cada uma em sua relação com o majestoso príncipe (que é um safado e tirava uma lasquinha de todas u.u).

America não seria America sem aquele nhem nhem nhem de sempre.
” Talvez sua paciência comigo estivesse se esgotando; talvez ele já não conseguisse ver apenas o que eu tinha de melhor.”
A minha paciência é que estava se esgotando, isso sim.
Não se pode ter tudo e todos e houve momentos que a America me pareceu muito presunçosa. Ela não é capaz de agir de uma determinada maneira mas cobra isso dos outros, no caso Maxon. Da voltas e foge quando deveria ser franca e colocar tudo em pratos limpos. Quando não é a America, é a Kiera que coloca obstáculos entre os personagens e isso me irritou profundamente. Esse é o livro de conclusão, e só vejo enrolação quando as coisas deveriam ser resolvidas.
Além disso, temos os rebeldes… O mundo nebuloso dos rebeldes começa a ser desvendado, não totalmente, mas nesse livro temos uma perspectiva melhor de quem são, suas intenções, reivindicações e muito mais. Essa foi uma parte que me surpreendeu!

Nesse meio tempo um clima tenso de revolução se instala: rebeldes atacando por toda a parte; esquemas sórdidos na monarquia e na fundação de Illéa e por aí vai. Mas mesmo assim, nossa querida America ainda não é capaz de dizer o que seu coração quer de verdade, tendo Aspen sempre como uma sombra que a impede de abrir mão de seu passado.

 
“Não desejar a coroa talvez a torne a melhor pessoa para usá-la.”

O livro segue naquele mesmo ritmo dos outros, fazendo com que a leitura flua muito bem e que você fique horas lendo sem parar até chegar aos agradecimentos fofos da Kiera.

Uma reviravolta interessante que acontece é toda a interação entre as meninas restantes. Abaixam-se os escudos e passamos a conhece-las de verdade e ter uma ideia de suas preocupações. Uma simpatia despertada aqui e ali por uma certa personagem foi uma surpresa.
 
Segredos sendo revelados! Alguns já esperados e outros surpreendentes, ambos não ganharam o destaque que mereciam e ficou meio que morno na historia toda. Uma pena não terem sido explorados.

Nesse livro eu consegui gostar mais de todos os personagens, até a Celeste! Menos o Rei >.< rsrs. A visão da America está mais amadurecida para certas coisas e isso nos faz ver os outros personagens de outra forma. Uma das coisas que me incomoda em livros em primeira pessoa é justamente isso, a visão do leitor fica engessada na do personagem. Em muitos momentos (quando a ação começa) eu me roia de curiosidade para saber o que estava acontecendo, meu desespero era igual o da America! Rsrsrs.

 

“Lutem.”
 
“Já passou da hora de fazermos mais do que nos esconder.”

Os rebeldes cada vez mais interessantes, as maquinações e alianças, o palco todo armado para altas reviravoltas, expectativas a mil e só tomei tapa na cara.

 

É muito difícil falar direito da história do último livro em si, devido à quantidade absurda de spoiler que pode ser dado sem nem ao menos desejar fazer isso. O que posso dizer é que a trilogia para mim é uma mistura de contos de fada, com Disney, com um fundinho distópico. Esse fundinho desperta em nós, amantes de distopias, a vontade de querer muito mais e pode até decepcionar alguns, pois (isso não é spoiler, juro) ela realmente não desenvolve a distopia aqui, pois nunca foi o foco. Porém, nossa diva provou que tem o que é necessário para escrever algo desse tipo, e quem garante que não veremos isso no futuro? 

O Romance…

Perfeição! A interação do casal e o modo como os sentimentos deles vão se transformando, quando passam a se dar conta do que realmente sentem, quando isso fica evidente para nós, seja através de um pensando ou de cartas. 

 

Na questão do romance, nós ficamos ansiosos para descobrir a escolha do Maxon. Temos muitos momentos de in love total entre Maxon e America. 

 

“Não dava para dizer que a nossa relação era obra do destino, mas ela parecia mais forte do que qualquer coisa que eu já tinha vivido antes.”
 
“Era incapaz de apontar precisamente o motivo de tanta certeza, mas soube na hora, com a mesma certeza com que sabia meu nome ou a cor do céu ou qualquer coisa escrita em um livro.”

Mas também temos muitas brigas que deixam tudo mais tenso e ambos inseguros…

 

“- Nós brigamos desde o dia em que nos conhecemos America! Seja mais específica.”
 
“- Maxon, foi você quem disse que não queria mais discutir. Então pare de arrumar motivos para eu discutir com você!”
 
“Há outras garotas aqui. Se você está tão preocupado com a sua única chance, talvez devesse garantir que não vai desperdiça-la comigo.”

E Aspen flutuando no meio dessa bagunça toda…
E a escolha só é revelada nos últimos capítulos do livro. #tenso

No meio do livro eu já estava pensando “Opa já está na hora da ação.” Já quase no final eu pensei ” Kiera CADE???” Meu receio de que tudo fosse acontecer rápido demais se concretizou.

 

A narrativa como sempre me fazendo devorar o livro. Nunca é pesada e não te cansa, um verdadeiro passeio no parque e quando você se da conta, terminou o livro.
Muitas coisas inacabados na minha opinião, acontecimentos desnecessários. Kiera cria tensões no livro e as dissipa de uma maneira de dar raiva. Guia o leitor para outros assuntos que acabamos nos esquecendo depois. Ela mais parece o Rei, não querendo dar importância para aquilo que exige uma explicação. Simplesmente deixou a desejar na distopia.

Anteriormente o título tinha sido divulgado pela editora como “A Escolhida”, mas depois de uma conversa com a Kiera eles optaram por “A Escolha” com a justificativa de que o foco do livro não era só a escolha da próxima princesa de Illéa. Concordo totalmente, pois vemos várias escolhas sendo tomadas e que definirão o futuro da nação.

Gostaria de dizer que eu amo a editora Seguinte de todo o meu coração e que amo o trabalho deles. Sinceramente, o fato de ir conversar com a própria autora sobre a tradução do título foi uma jogada de mestre, e mostrou o quanto eles consideram o trabalho da autora e o quanto eles consideram os fãs. “A Escolhida” realmente não seria adequado a esse livro, pois no fim das contas America não foi escolhida por ninguém, a escolha foi inteiramente dela. E não foi apenas uma escolha entre Maxon ou Aspen, mas sim uma escolha do que seria melhor para ela, do que a faria feliz, e o mais importante, de quem ela realmente era.

Nem tudo é respondido, muitas mortes te chocarão – sim, nem tudo é romance e vestidos bonitos.

 

“Por acaso o céu não sabia que o mundo estava desabando: Como o sol podia brilhar”

Devo comentar que baixou uns #gotfeelings na Kiera, porque meu Deus, quanta morte! Mas apesar disso, posso dizer que foi um final perfeito para uma série perfeita. Já estou morrendo de saudades de todos. Prevejo uma releitura da série em breve ahahaha

Se você é fã, vai se emocionar bastante e pedir por mais!
Desejo muito que a Kiera escreva mais um conto porque estou me roendo de curiosidade hahaha, não entro em detalhes porque seria spoiler, mas quem já leu vai entender o que estou falando!

OBS: O Epílogo que não deveria ser o epílogo, leiam que vão me entender.

Tirando as partes que me decepcionaram, eu gostei sim do livro. Acredito que a decepção se deu pelas altas expectativas da minha parte. Se você quer um romance despretensioso, um quase conto de fadas, um casal fofo, uma leitura leve e divertida. Taí! Pode investir na serie que tenho certeza que irá gostar.

Definitivamente esse titulo casou com o livro perfeitamente. 
Se trata de escolhas e não apenas a de America.

Em recente entrevista a Kiera falou que não tem nada pronto, mas era possível que ela voltasse ao mundo da Seleção em breve, seu foco atual está em outros livros que em breve ela irá nos contar… mas para não ficarmos completamente órfãos, já temos a notícia de mais um conto: “The Queen” onde vamos conhecer melhor nossa Rainha Amberly <3

 

Se você ainda não leu A Escolha, ta esperando o que? Vá ler! Se já leu, comente conosco sua opinião!

“Não será perfeito, não o tempo todo.
Isto não é um ‘felizes para sempre’.
É muito mais que isso.”
 
 
 
Garotas Livros
GeL

confira também os Posts Relacionados

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário