adulto

Resenha #324 Drive

Por Barbara em 28 jul • 2020

Categoria: Bienal 2014

06out • 14 Bienal 2014, lançamento, Literatura Nacional, resenha, Talentos da Literatura Brasileira

Resenha #58 A Redoma

Título: A Redoma 
Autor: Felipe Benichio 
Editora: Novo Século – Talentos da Literatura Brasileira 
Páginas: 376
Classificação: 5 estrelas


Sinopse: Gerações após o colapso da Terra, a humanidade vaga pelo espaço em busca de um novo lar. E, quando finalmente encontra o planeta Vetter, se depara com uma população inteligente, passando a enfrentar o dilema decorrente de sua pretensa superioridade: seria legítimo dizimar a população do planeta encontrado em nome da preservação da própria espécie? Em um cenário inóspito, guerras e conflitos interpessoais se descortinam do ponto de vista da equipe responsável pela exploração do lado escuro de Vetter, e também da perspectiva de 7814, um vetteriano desajustado, exilado pouco antes da invasão. Dinâmico e envolvente, A Redoma contrapõe o instinto de preservação às inquietações morais que afligem o espírito humano e nos apresenta uma tentativa de quebra da “redoma” que construímos em torno de nós mesmos e que, em muitos momentos, nos impede de enxergar o outro.

“Um grupo eminentemente coletivista que acaba se fechando 
não só fisicamente mas também intelectual e filosoficamente em uma redoma 
só pode sucumbir quando se depara com uma ameaça externa 
tão ou mais inteligente, porém movida por interesses egoísticos.”

 

Me faltam palavras para descrever o porque, exatamente, de esse livro ser espetacular em todos os sentidos possíveis da palavra. Felipe Benichio conseguiu me surpreender muito mais do que eu já esperava com A Redoma, eu não sei dizer se estava preparada para me separar dessa história.
A Redoma é uma história muito original, “a breath of fresh air” (uma lufada de ar fresco), como diriam os falantes da língua inglesa. Uma ficção científica muito bem construída, e finalizada sem deixar nenhuma ponta solta. SIMPLESMENTE BRILHANTE!

Continue lendo

17set • 14 Bienal 2014, lançamento, Literatura Nacional, Talentos da Literatura Brasileira

#nowreading A Redoma

Hoje trazemos um gostinho de um dos lançamentos da Novo Século, A Redoma, de Felipe Benichio.

 

Título: A Redoma
Autor: Felipe Benichio
Editora: Novo Século – Talentos da Literatura Brasileira
Páginas: 376

Sinopse: Gerações após o colapso da Terra, a humanidade vaga pelo espaço em busca de um novo lar. E, quando finalmente encontra o planeta Vetter, se depara com uma população inteligente, passando a enfrentar o dilema decorrente de sua pretensa superioridade: seria legítimo dizimar a população do planeta encontrado em nome da preservação da própria espécie? Em um cenário inóspito, guerras e conflitos interpessoais se descortinam do ponto de vista da equipe responsável pela exploração do lado escuro de Vetter, e também da perspectiva de 7814, um vetteriano desajustado, exilado pouco antes da invasão. Dinâmico e envolvente, A Redoma contrapõe o instinto de preservação às inquietações morais que afligem o espírito humano e nos apresenta uma tentativa de quebra da “redoma” que construímos em torno de nós mesmos e que, em muitos momentos, nos impede de enxergar o outro.
GENTE, QUE LIVRO TENSO É ESSE? MEU DEUS! Vou ficar louca sem saber o que acontece. Cheguei em um momento da história onde CADA MÍNIMO DETALHE é importante. Palmas para o Sr. Felipe por conseguir me deixar tão tensa e não desgrudar desse livro! E claro, obrigada por disponibilizar o livro para que eu pudesse ler. Foi muita gentileza sua! 🙂
Eu e Felipe, o autor, no stand da Novo Século,
na Bienal do Livro de São Paulo 2014
Bem, vamos ao que interessa!

Continue lendo

01set • 14 Bienal 2014

Giro Gel #2 Bienal 2014

Foram dez dias de fortes emoções. Eu, que nunca tinha participado de uma Bienal, posso dizer que minha primeira será inesquecível. Conheci pessoas muito especiais, reencontrei amigos, dei muitas risadas, conheci autores incríveis, percebi como a nossa literatura é rica, e como precisamos aprender a dar mais valor para isso.
Sim, foram dias muito cansativos. E sim, o caos teve seus momentos com aquela multidão toda, mas eu não irei dizer que estava desorganizado, pois imagino o quão difícil deve ser organizar um evento desse porte. Poderia ficar aqui falando sem parar sobre como eles poderiam ter feito ou deixado de fazer tal coisa, e isso não mudaria nada. Então irei falar apenas que CADA SEGUNDO VALEU A PENA. É lindo demais ver tanta gente que nutre um amor tão grande por livros como você. Sem dúvida, existiram momentos mágicos nessa Bienal.

Continue lendo