adulto

Resenha #324 Drive

Por Barbara em 28 jul • 2020
09jun • 14 Cassandra Clare, resenha

Resenha #31 Príncipe Mecânico (As Peças Infernais #2)

Título:  Príncipe Mecânico
Autor: Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Páginas: 406
Classificação: 5 estrelas

Compre o Livro

Sinopse: Tessa Gray não está sonhando. Nada do que aconteceu desde que saiu de Nova York para Londres — ser sequestrada pelas Irmãs Sombrias, perseguida por um exército mecânico, ser traída pelo próprio irmão e se apaixonar pela pessoa errada — foi fruto de sua imaginação. Mas talvez Tessa Gray, como ela mesma se reconhece, nem sequer exista. O Magistrado garante que ela não passa de uma invenção. Para entender o próprio passado e ter alguma chance de projetar seu futuro, primeiro Tessa precisa entender quem criou Axel Mortmain, também conhecido como Príncipe Mecânico.

Chegamos ao segundo livro e muitas perguntas ainda ficam sem respostas e outras são respondidas logo no inicio do livro.

Terminamos Anjo Mecânico com Will indo visitar nosso feiticeiro preferido Magnus Bane, confesso que me roí de curiosidade com esse mistério todo que envolve a vida do Will… e bem, quando é revelado: </3

“Will era lindo, mas não era dela; não era de ninguém. Havia algo quebrado nele, e por aquela rachadura escorria uma crueldade cega, uma necessidade de machucar e se afastar.”

Fica claro que esse é um livro de ‘ligação’, pois ele é uma ponte entre o primeiro e terceiro livro – naturalmente como todo segundo livro é ou deveria ser pelo menos – . Ao mesmo tempo em que muitas situações são resolvidas, outras ficam em aberto para serem finalizadas no terceiro.

Outro diferencial dessa sequencia é que não temos muita ação se comparado ao primeiro, e não, isso não é uma crítica negativa! Os caçadores estão investigando mais e tentando desvendar os mistérios que cercam a vida do Magistrado, mas o cara é mais esperto do que todos pensavam e planejou todos os seus futuros passos com muito cuidado.

Outros personagens aparecem para enriquecer mais ainda a história, alguns são tão misteriosos que dá vontade de pegar logo o terceiro para descobrir tudo!

E o romance… deixei pra falar sobre o triângulo amoroso Will/Tessa/Jem por último porque mexeu muito comigo. Em PM ele toma proporções enormes e enquanto em Anjo e quase até a metade do Príncipe eu fiquei dividida por quem torcer, uma cena definiu tudo. Eu amo o Jem e suas atitudes, mas meu coração é totalmente do Will.

Ambos são a personificação de tudo o que uma garota sonha! O Jem é músico, sensível, leal, paciente e muito mais… o cara perfeito! E o Will é um rebelde que ama os livros, cheio de honra… totalmente admirável! Amo os dois, mas o Will… *suspiros*

“Existe uma alma sob toda esta bravata. E ele é muito vivo, uma das pessoas mais vivas que já conheci. Quando ele sente alguma coisa, é tão brilhante e afiado quanto um raio.”

No meio disso tudo está a Tessa! Confesso que não sei se gostaria de estar do lugar dela… a disputa é terrível e diria até injusta, mas creio que essa era a intenção da Cassandra.

“Seria mesmo possível amar duas pessoas ao mesmo tempo? Era possível dividir o coração em dois?” 

Mas, mais do que todo o romance, guerra e etc que envolve a vida dos Caçadores, uma das minhas coisas favoritas é a relação entre o Jem e o Will.

“Devia a vida a Jem. Não podia tirar do amigo a coisa que ele mais queria no mundo. Mesmo que isso lhe custasse sua própria felicidade, pois Jem não era apenas alguém com quem tinha uma dívida impossível de ser paga, mas, como registrado em contrato, alguém a quem amava tanto quanto à própria alma.”
 
“Por mais que desempenhe um papel em que tenta demonstrar o contrário, eu o vejo como realmente é, meu irmão de sangue. Não apenas melhor do que finge ser, mas melhor do que a maioria das pessoas poderia ter ambição de ser. Você tem um valor inestimável, Will.”

É uma amizade tão profunda e verdadeira que chega a doer! A melhor forma de defini-la é com o juramento do Parabatai.

“Aonde fores, irei; onde morreres, morrerei. E lá serei enterrado: o Anjo me permitirá isso, e mais, e nada além da morte separará a ti de mim”.

Eu li o livro todo com uma dorzinha no coração e imaginando como Cassandra Clare  vai resolver tudo em Princesa Mecânica. Muitas vezes me perguntei se a amava ou odiava rsrsrs, mas amo é claro! Novamente fica claro o trabalho de pesquisa monstruoso que ela fez pra escrever o livro, cada referência, as frases do começo de cada capítulo… nossa só posso dar parabéns! Parabéns Cassandra Clare!

Prevejo uma DPL depois dessa trilogia…

confira também os Posts Relacionados

Comente com o Facebook

Deixe seu comentário